Lei Pietro e ProUni

Quero destacar dois assuntos que figuraram na pauta nacional na semana em que comemoramos o dia de Tiradentes e o aniversário de 49 anos de Brasília. Trata-se das irregularidades encontradas pelo TCU no Programa Universidade para Todos (ProUni) e a Lei Pietro que foi sancionada pelo presidente Lula.

A Lei Pietro, de autoria do companheiro, deputado Beto Albuquerque, institui a Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Óssea. O texto prevê que todos os anos, de 14 a 21 de dezembro, sejam desenvolvidas atividades de esclarecimento e incentivo à doação de medula para que se aumente no Brasil o número de pessoas cadastradas no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome).

Atualmente, o Brasil registra cerca de 10 mil novos casos de leucemia, doença que na maioria das vezes somente pode ser enfrentada por meio de transplante.

A Lei recebeu o nome de Pietro, por se tratar do filho do deputado gaúcho Beto Albuquerque, que morreu no dia 3 de fevereiro de 2009, aos 19 anos, depois de 14 meses de luta contra uma leucemia mielóide aguda. Infelizmente, os transplantes foram realizados cerca de um ano depois do diagnóstico, quando o jovem já estava muito debilitado pelos efeitos da leucemia.

Porém, a morte do filho não fez o deputado desistir de tentar salvar outras pessoas que enfrentam a mesma situação. Beto me disse estar muito feliz porque a mobilização, o esclarecimento e a solidariedade vão salvar muitas vidas.

Irregularidades – Quanto a auditoria do TCU no ProUni, que identificou diversos indícios de irregularidades em mais de 30 mil benefícios concedidos, pedi inúmeros esclarecimentos ao ministro da Educação, Fernando Haddad.

No pedido de informações que formulei, estou questionando se o Ministério da Educação (MEC) sabia das irregularidades e quais medidas serão tomadas para evitar que novas fraudes aconteçam. Quero também saber se, no estado do Amazonas, ocorreram irregularidades.

Estamos diante de um absurdo. Um programa destinado a atender jovens com renda mensal de até um salário mínimo e meio (R$ 697,50) por pessoa da família, sejam concedido a mais de mil proprietários de carros novos, entre eles modelos de luxo, como Honda Civic, Toyota Hilux, Ford Fusion, Vectra, Zafira, Mitsubishi Pajero e o XTerra da Nissan.

O Congresso Nacional não pode se calar diante do fato de que, mais uma vez, os ricos se aproveitam dos benefícios que o governo destina aos mais pobres.

Até semana que vem.

Marcelo Serafim

Deputado Federal pelo PSB do Amazonas

4 comments

  1. d+ isso …
    le da doação de medula ossea, resolveria o problema da doença do “CA” ate porque medula se renova todos os dia dentro de nosso corpo.]
    por que não salvar vidas e compartilhar o q deus nos beneficia todos os nossos dias …
    valeu marcelo…

  2. Nobre Deputado Marcelo parabéns pela luta, realmente o congresso não pode calar-se diante de, mas um ato hediondo de corrupção e desvio de finalidade. O PROUNI não pode ser manchado por tais atos, o congresso tem que tomar a frente do processo e juntos com o governo federal encontrar mecanismos para coibir tais praticas e punir esses lacraios do erário.conte sempre com nosso apoio

  3. Poderia começar fiscalizando porque nos ultimos anos mais de 90% dos estudantes que recebiam ajuda do governo antes conhecida por outro nome,eram da Assembleia de Deus,os responsaveis pelo programa na caixa economica são da igreja e só o liberam aos “irmãos” indicados por pastores,este cancer vem corroendo a liberação de recursos a pessoas de outros credos,é discriminação,mas neste estado tudo pode,aqui todo bandido vira “evangelico”.

Comments are closed.