Serafim diz que aeroportos do interior não podem ficar de fora do programa de concessão do governo federal

Após o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, ter anunciado apenas os  aeroportos de Manaus, Tefé e Tabatinga no programa de concessão do governo federal, no Amazonas, o deputado Serafim Corrêa (PSB) criticou, na manhã desta quinta-feira, 30,  a exclusão dos demais terminais do interior do projeto.

“E os outros aeroportos do Amazonas que são altamente deficitários? Esses o governo federal não dá concessão e deixa aos cuidados das prefeituras do interior. Se é verdade que não deve ser atribuição do governo federal fazer a exploração de aeroportos, é verdade também que muito menos os prefeitos do interior deveriam fazer isso”, defendeu o parlamentar.

Durante seu discurso, em sessão híbrida da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), Serafim ainda disse que não tem nenhum preconceito contra a privatização, mas discorda do modelo utilizado no plano do governo federal.

“Até entendo que o Brasil é uma máquina paquidérmica, muito grande, e entrou em um monte de atividades que não são características de estado. Administrar aeroporto é uma delas ao meu ver. Agora, discordo do modelo com que o governo federal está adotando. É positivo que ele esteja dando a concessão para os aeroportos de Manaus, Tefé e Tabatinga, mas é totalmente negativo que ele esteja deixando a administração dos terminais do interior com as prefeituras municipais”.

Serafim explicou que o governo federal não irá vender os aeroportos, mas irá leiloar a concessão administrativa por determinado período, tendo como obrigatoriedade o ganhador a  cumprir todas as regras impostas pelo programa.

  “A meu ver, o aeroporto de Manaus é o filé e os aeroportos do interior são os ossos. Ele [governo federal] está dando concessão do filé e está deixando os ossos para que as prefeituras deem o seu jeito. No meu entender, faz a concessão de tudo. Quem ganhar a concessão do aeroporto de Manaus, e ele é altamente rentável, vai ter que ficar com o de Parintins, Itacoatiara, Ucucará, enfim, com todos do interior do estado”, concluiu.

Texto: Luana Dávila / Foto: Anderson Tahan