Saiba mais sobre a gripe suína, ou a “nova gripe”

Recebi por e-mail e socializo informações sobre a gripe suína tendo como fontes o Centro de Vigilância Epidemiológica de SP / Correio Braziliense.

Veja as principais perguntas e respostas sobre a gripe suína que afeta vários países:

O que é a gripe suína?

A influenza suína (gripe suína) é uma doença respiratória dos porcos causada por um vírus de influenza do tipo A, que é motivo de surtos regulares em porcos. As pessoas, normalmente, não contraem a gripe suína, porém infecções em seres humanos podem acontecer e de fato acontecem. Estudos mostraram que os vírus da gripe suína podem se disseminar de pessoa para pessoa; porém, no passado, essa transmissão era limitada e não-sustentada para além de três pessoas.

Como é transmitida?

De porcos para pessoas: os infectados mantiveram contato direto com os animais doentes. Entre humanos: assim como a gripe comum, a influenza suína é transmitida pela tosse, espirro e contato com secreções de pessoas infectadas. Em ambos os casos, o vírus pode estar presente tanto no organismo do indivíduo quanto do porco, sem a doença se manifestar.

Pode-se contrair a doença comendo carne de porco ou derivados?

Não. Segundo o Ministério da Agricultura, não há registro de transmissão da gripe suína para pessoas por meio da ingestão de carne ou derivados que tenham sido manipulados e preparados adequadamente. O vírus da influenza suína não resiste a altas temperaturas (de 70ºC a 160ºC). Deve-se evitar consumir tais alimentos crus.

Esse vírus é contagioso?

O CDC concluiu que esse vírus da influenza suína tipo A (H1N1) é contagioso e está se disseminando de pessoa para pessoa. Neste momento, porém, não se sabe com que facilidade o vírus se transmite entre as pessoas.

Quais são os sinais e sintomas da gripe suína nos seres humanos?

Os sintomas da gripe suína nos seres humanos são similares aos sintomas da influenza humana comum, e incluem febre, tosse, garganta inflamada, dores no corpo, dor de cabeça, calafrios e fadiga. Algumas pessoas relatam diarreia e vômitos associados à gripe suína. No passado, formas graves da doença (pneumonia e falência respiratória) e mortes foram relatadas com a infecção pela gripe suína em seres humanos. A exemplo da influenza sazonal, a gripe suína pode causar uma piora de doenças crônicas já existentes.

Como se transmite a gripe suína?

Acredita-se que a transmissão do vírus da gripe suína tipo A (H1N1) aconteça da mesma maneira pela qual se transmite a influenza sazonal. Os vírus da influenza se disseminam de pessoa para pessoa especialmente através de tosse ou espirros das pessoas infectadas. Algumas vezes, as pessoas podem se infectar tocando objetos que estão contaminados com os vírus da influenza e depois tocando sua boca ou seu nariz.

O que eu devo fazer para evitar contrair a gripe?

Primeira medida e a mais importante: lave as mãos. Tente permanecer saudável. Durma bem, pratique atividade física, controle seu estresse, beba muito líquido e prefira alimentos nutritivos. Tente não tocar superfícies que podem estar contaminadas com o vírus da gripe. Evite contato próximo com pessoas doentes.

Existem medicamentos para tratar a gripe suína?

Sim. O CDC recomenda o uso do oseltamivir ou do zanamivir para tratamento e/ou prevenção da infecção por esses vírus da influenza suína. Medicamentos antivirais são drogas (comprimidos, líquidos ou inaláveis) que combatem a gripe evitando que os vírus se reproduzam em seu corpo. Se você adoecer, os medicamentos antivirais podem tornar sua doença mais branda e fazer com que você se recupere mais depressa. Eles também evitam complicações graves da influenza. Para o tratamento, os medicamentos antivirais funcionam melhor se forem administrados logo após a pessoa adoecer (em até dois dias depois do início dos sintomas).

Quais superfícies podem ser fontes mais prováveis de infecção?

Os germes podem ser transmitidos quando uma pessoa toca algum objeto contaminado e depois toca seus olhos, nariz ou boca. Gotículas de tosse ou espirro de pessoas infectadas se movem pelo ar. Os germes podem ser transmitidos quando uma pessoa toca gotículas da respiração de outras pessoas ou uma superfície, como uma mesa, e então toca seus olhos, boca ou nariz sem lavar as mãos.

O que posso fazer para não ficar doente?

No momento, não existe vacina para proteger contra a gripe suína. Existem ações cotidianas que podem ajudar a prevenir a disseminação dos germes que causam doenças respiratórias tais como a influenza. Para proteger sua saúde:

• Cubra o nariz e a boca com um lenço de papel quando tossir ou espirrar, jogando o lenço no lixo após o uso.
• Lave as mãos com frequência, usando água e sabão, especialmente após tossir ou espirrar. Produtos para desinfecção das mãos à base de álcool também são eficientes.
• Evite tocar seus olhos, nariz ou boca. Os germes se transmitem dessa maneira.
• Tente evitar contato próximo com pessoas doentes.
• Se você contrair a influenza, o CDC recomenda que fique em casa, evitando ir ao trabalho ou à escola. Evite contato com outras pessoas, para não infectá-las.
É preciso suspender contatos com porcos?
É aconselhável minimizar o contato com animais doentes e informar qualquer caso às autoridades de saúde animal. Práticas de higiene são essenciais sempre que se mantém contato com o animal, principalmente durante e após o abate.

Qual é a melhor técnica para lavar as mãos e evitar contrair a gripe?

Lavar as mãos com frequência ajuda você a se proteger dos germes. Lave com água e sabão, ou limpe com soluções contendo álcool. Recomendamos que, ao lavar as mãos – com sabão e água quente – lave durante 15 a 20 segundos. Quando não houver água e sabão disponíveis, use lenços descartáveis contendo álcool ou sanitizantes em gel. Você os encontra em supermercados ou farmácias. Quando estiver usando o gel, esfregue as mãos até que o produto seque. O gel não precisa de água para sua ação desinfetante, uma vez que o álcool que ele contém mata os germes das suas mãos.

O que devo fazer se eu adoecer?

Se você reside em áreas nas quais foram identificados casos de influenza suína e adoecer com sintomas similares aos da influenza, incluindo febre, dores no corpo, coriza, garganta inflamada, náuseas ou vômitos ou diarreia, você deve entrar em contato com seu médico, particularmente se estiver preocupado com tais sintomas. Seu médico vai determinar se são necessários testes ou tratamentos para influenza. Se você estiver doente, deve ficar em casa e evitar ao máximo possível o contato com outras pessoas, para evitar transmitir sua doença para os outros. Se você adoecer e tiver qualquer um dos seguintes sinais de alerta listado a seguir, procure serviços médicos de emergência.

Em crianças, os sinais de alerta que necessitam de urgente atenção médica são os seguintes:
• Respiração acelerada ou difícil
• Coloração azulada da pele
• Não ingerir líquidos em quantidade suficiente
• Não acordar ou não interagir
• Estar tão irritada que não quer ser carregada ao colo
• Sintomas similares aos da influenza melhoram, porém retornam com febre e piora da tosse
• Febre com manchas vermelhas

Em adultos, os sinais de alerta que exigem urgente atenção médica são os seguintes:
• Dificuldade em respirar ou falta de ar
• Dor ou pressão no peito ou no abdômen
• Tontura repentina
• Confusão mental
• Vômitos intensos ou persistentes.

A gripe suína é grave?

Como a influenza sazonal, a gripe suína nos seres humanos pode variar em intensidade de branda a grave. De 2005 até janeiro de 2009, 12 casos humanos da gripe suína foram detectados nos Estados Unidos, sem registro de ocorrência de óbitos. A infecção pela gripe suína, porém, pode ser grave. Em setembro de 1988, em Wisconsin, uma grávida de 32 anos, que até então estava saudável, foi internada por causa de pneumonia, depois de ter contraído a gripe suína, e morreu oito dias depois. Em um surto de gripe suína ocorrido em Fort Dix , Nova Jersey, em 1976, houve mais de 200 casos, com a forma grave da doença sendo registrada em muitas pessoas e causando uma morte.

2 comments

  1. Vôos com passageiros vindos do exterior, daí eu digo – sabe-se lá de onde, geralmente fazem escalas em São Paulo e Rio de Janeiro. Muitos manauaras que voltam para casa, repito advindos do exterior e não se sabe de onde, se quer são identificados pela vigilância em saúde.Tem algo errado nisso ou é impressão minha ?

  2. Sérgio,
    Desde que a Organização Mundial de Saúde (OMS) deu o alerta para a Influenza A (H1N1), o Ministério da Saúde reteve todas as Declarações de Bagagem Acompanhada (DBA), com os dados de pessoas procedentes de vôos de países afetados pela doença. Muito obrigada. Mais informações, [email protected].

Comments are closed.