Lucro da Petrobras: R$ 34 bi, 58% maior que em 2007

A PETROBRAS divulgou ontem o resultado do seu balanço de 2008. O seu lucro foi de 34 bilhões de reais, 58% maior do que o do ano anterior. Para que se tenha uma idéia da magnitude desse resultado ele corresponde ao orçamento de quatro anos do Amazonas.

O lucro teria sido maior ainda se não tivesse havido queda dos preços internacionais do petróleo. É que a empresa comprou na alta e teve que vender na baixa e com isso teve prejuízos.

A expansão da Refinaria de Manaus depende de investimentos da ordem de dois bilhões de reais nos próximos cinco anos. Com esse lucro, dinheiro não falta. Vai depender apenas da vontade política da direção da empresa. Registre-se que nos últimos quinze anos os investimentos da empresa na região amazônica aumentaram significativamente com a ampliação da refinaria, da exploração do petróleo de Urucu e o gasoduto Coari-Manaus.

3 comments

  1. Certamente ocorrerão os investimentos de que não só o Amazonas, como a região norte, precisam.

    Expressivos investimentos do Governo Federal na região, e principalmente no Amazonas, não é mera presença econômica e financeira efetiva, com reflexos de relevância na economia local; mas também imprescindível para que não só o homem amazônida se sinta privilegiado e protegido, como que o mundo perceba que estamos todos aqui, tomando conta do que é nosso.

  2. Estranho:

    >>>Vai depender apenas da vontade política da direção da empresa<<<

    Torço muito por essa empresa…=]

  3. Sobre matéria que repercutiu nacionalmente sobre a liberação da maconha, venho através deste veiculo de comunicação colocar nossa opinião a respeito de tão suntuoso e polemico tema, tendo em vista nossos 18 anos de atividade na recuperação de usuários de drogas, com grande contingente de usuários de maconha.

    O Brasil, ainda não oferece recursos de prevenção e apoio de redução de danos para os que usam de maneira crônica qualquer droga, estamos muito aquém de ter um planejamento ou programa em que o governo tenha pleno comprometimento para tal, só por este prisma, falar em liberação nas lides do governo já seria hipocrisia tendo em vista que para se liberar uma droga necessitamos de recursos de politização para tal.

    Quem defende liberação de qualquer droga, ou é porque a usa (mostre-me um que não usa defendendo a liberação), ou porque entende que a repressão está falida, ficando com a segunda hipótese, vemos que os recursos são sempre escassos para o tratamento e prevenção, acredito que antes de se liberar uma droga ou drogas, deva-se tentar todas as outras alternativas, e o Brasil é muito novo em política sobre drogas, nossa política é de 2006, pois a que o Pais usava era a política Americana, e por isso, necessitamos que o Pais invista plenamente em tratamento e prevenção, antes de uma liberação.

    Considero que é necessário discutir com rigor metodológico tanto a contribuição de fatores sociais e familiares para a utilização de substâncias psicoativas, quanto a influência dos mesmos para a determinação da modalidade de relação que será estabelecida com a droga. Dessa maneira, poderemos contribuir para amenizar o conturbado quadro de preconceitos, estigmas e acusações que envolvem aspectos familiares e sociais relacionados ao uso de drogas. Precisamos discutir sem utopias, mas com pé no chão.

    Acredito que devemos investir pesadamente em prevenção e tratamento, como também na reinserção social dessas pessoas, pois sem esse ultimo instrumento seguramente o trabalho fica prejudicado.

    Sem contar que no Amazonas por exemplo, e isso é uma outra situação não se usa drogas de maneira idêntica no nosso Pais, no Amazonas os usuários de maconha na sua grande maioria (mais de 90%) usam maconha com pasta base de cocaína, e como saberemos que estão usando somente maconha ou com a outra droga…..

    Ai teremos logo, logo que liberar a outra também, por isso, digo vamos pensar com muita cautela e chamar para essa discussão quem efetivamente entende do assunto, e milita no tratamento de usuários de drogas.

    Somos a favor da vida, e se liberar drogas for contra esse preceito, estamos fora!

    O que é a maconha?

    A maconha é o nome dado no Brasil ao vegetal Cannabis sativa, também conhecida popularmente como: marijuana, fumo, bagulho, manga rosa, liamba, mulatinho. Os primeiros relatos de sua presença no Brasil datam do século XVIII para a produção de fibras. No entanto acredita-se que a planta já existe há mais tempo utilizada pelos escravos. A planta Cannabis sativa produz mais de 400 substâncias químicas. Uma delas é o THC (tetrahidrocanabinol ) que é a principal responsável pelos efeitos da maconha.

    Como a maconha é utilizada?

    As flores e folhas secas da maconha podem ser fumadas ou ingeridas, sendo que a forma mais comum é a fumada. Nesse primeiro caso a maconha é absorvida por via pulmonar e atinge o Sistema Nervoso Central (cérebro) em apenas alguns segundos e, utilizada por via oral sua absorção é lenta, de 30 a 60 minutos.

    O que é hashishe (ou hachiche)? e skank (skunk)?

    O hashishe é uma forma concentrada da maconha, com a forma de uma bolota. A pessoa pode engolir a bolota ou pode fuma-la. O hashishe é bem mais potente que as folhas e flores da maconha. O skunk nada mais é do que uma variedade da planta que foi selecionada para produzir uma quantidade bem maior de THC. É claro, portanto, que o skunk é mais potente que a maconha comum.

    Por que as pessoas usam Maconha?

    Não podemos dizer que todos que fumam maconha querem sentir as mesmas coisas, mas alguns dos efeitos buscados podem ser: Tranqüilidade, pois muitos do que usam maconha se sentem mais calmos e relaxados; Diversão e descontração, a pessoa ri por qualquer motivo; Busca de um maior prazer sexual (isto não ocorre, na verdade); Maior sensibilidade ao som (ficar curtindo uma música por exemplo), Maior sensibilidade ao gosto (a famosa “larica”); Ficar “morgando”, que se caracteriza pela vontade de não fazer nada; Ficar “viajando” em algum objeto, pois a sensibilidade visual fica aumentada.

    O que a maconha faz no corpo após uma dose (efeitos físicos agudos)?

    Os efeitos físicos agudos não são muitos : os olhos ficam ligeiramente avermelhados (hiperemia das conjuntiva ), a boca fica seca (xerostomia) e o coração dispara (os batimentos, de 60 a 80 por minuto, podem chegar a mais de 120).

    O que a maconha faz no corpo com o uso contínuo (efeitos físicos crônicos)?

    Os efeitos crônicos da maconha são mais graves. No homem o uso prolongado de maconha pode provocar uma diminuição da testosterona (hormônio que confere ao homem maior quantidade de músculos, a voz mais grossa, barba, também é responsável pela fabricação do espermatozóides). Na mulher pode trazer alterações hormonais chegando até a inibição da ovulação. O uso contínuo pode afetar também os pulmões (a fumaça é muito irritante), sendo comum os problemas respiratórios, principalmente a bronquite. Animais de laboratório expostos cronicamente à maconha passam a apresentar maior incidência de câncer do que animais controles.

    O que a maconha faz com a mente após uma dose (efeitos psíquicos agudos)?

    Os efeitos psíquicos agudos dependerão da qualidade da maconha fumada e da sensibilidade de quem fuma. Para uma parte das pessoas, os feitos correspondem a uma sensação de calma e relaxamento, menos cansaço e vontade de rir. Para outras, ao contrário, os efeitos são desagradáveis: tremor, sudorese, sensação de angústia, medo de perder o controle mental (bad trip/ má viagem, bode).

    A percepção do tempo e do espaço ficam prejudicadas. Assim, uma pessoa ao dirigir após ter usado maconha, pode facilmente calcular errado na hora de fazer uma ultrapassagem, causando assim um acidente. Há também uma perda da memória que, iremos abordar em um outro tópico.

    O que a maconha faz com a mente depois de um período de uso crônico (efeitos psíquicos crônicos)?

    Os efeitos psíquicos crônicos da maconha, provocado pelo uso continuado, interferem na capacidade de aprendizagem e de memorização, podendo induzir a um estado de diminuição da motivação. Nesse caso, a pessoa não sente vontade de fazer mais nada, tudo parece ficar sem graça e sem importância. Há também provas científicas de que, se o usuário tem uma doença psíquica, mas que ainda está “sob controle”, ou já se manifesta, mas está controlada por medicamento, a maconha piora o quadro, pois ela pode anular o efeito do medicamento ou ser o “estopim” que faria a doença se manifestar.

    A maconha afeta o desempenho na escola?

    Imagine uma pessoa que fumou maconha e vai assistir uma aula de matemática. Pense na dificuldade que vai ser para essa pessoa organizar ás idéias de uma forma lógica já que, como vimos, a maconha afeta a atenção, concentração, motivação e memória. Com certeza o desempenho na escola ou em quaisquer outras atividades que exijam esses quesitos vão ser prejudicadas.

    A maconha leva ao uso de outras drogas?

    Não necessariamente. O que ocorre na verdade (e que leva a essa noção equivocada de que a maconha seria a porta de entrada para outras drogas) é uma hierarquia na experimentação e no uso por parte das pessoas. Raramente alguém começa a usar direto cocaína sem ter pelo menos experimentado alguma bebida alcoólica ou cigarro (que são drogas legais mas que, podem também causar sérios problemas). Se uma pessoa tiver vontade de provar mais alguma coisa, é provável que ela experimente, dentro das drogas ilegais, primeiro a maconha, por ser mais barata e disponível. Mas não há nada de intrínseco (que pertença á ela) nessa substância que obrigue a pessoa a depois usar algo mais pesado e assim sucessivamente.

    É possível reconhecer alguém que usa Maconha ?

    Às vezes. Por exemplo, quando a pessoa tem os olhos avermelhados e a boca seca. Mas muitas vezes uma pessoa pode ter uma ou mesmo as duas coisas, sem nunca ter fumado maconha.

    A pessoa pode usar maconha quando está grávida?

    Nenhuma substância que cause algum tipo de intoxicação deve ser usada pela mulher quando estiver grávida (e no período de amamentação), pois isso prejudica o feto que está em desenvolvimento. Assim como o cigarro, álcool, remédios (que não receitados pelo médico), a maconha e outras drogas não podem ser usadas.

    A maconha causa dependência?

    Algumas pessoas podem desenvolver dependência e outras não. Isto vai depender da pessoa e seus problemas e do tempo e quantidade de uso. Infelizmente não podemos saber quais são essas pessoas pois, a dependência está ligada a uma série de fatores que vão variar muito de pessoa para pessoa.

    As pessoas podem parar de usar maconha?

    Sim. Algumas pessoas param sozinhas, outras precisam de ajuda, mas de uma forma ou de outra o importante é saber que, se a pessoa quiser ela pode parar.

    A maconha causa tolerância?

    O uso contínuo da maconha pode levar ao fenômeno de tolerância. Por exemplo: se antes a pessoa com 1 baseado ficava “legal”, agora ela precisa fumar mais para ficar “legal” do mesmo jeito. No entanto, a tolerância no caso da maconha demora muito para acontecer.

    O que acontece se uma pessoa for surpreendida usando maconha?

    A maconha no Brasil é considerada um droga ilícita e, como tal, se uma pessoa estiver usando maconha e for surpreendida ( mesmo que não esteja causando nenhuma tipo de problema ou dano a alguém) ela vai ser punida de acordo com a lei.

    O que acontece se uma pessoa for surpreendida levando maconha para usar junto com amigos?

    Como foi dito acima, o problema é que não interessa se a pessoa vai usar em casa com um amigo para ficar curtindo um som, ou se ela vai usar com os amigos numa festa, situações estas que aparentemente não estariam prejudicando a ninguém. A maconha é uma droga ilícita e a pessoa que a estiver levando para usar com amigos poderá ser enquadrada como traficante pela nossa lei que, nesses casos é de um rigor extremo, colocando um usuário na mesma condição de um traficante de verdade.

    A maconha afeta a memória?

    Sim. A maconha prejudica principalmente a memória a curto prazo; exemplificando: Vamos supor que alguém esteja em casa com um amigo e vão pedir uma pizza, ela olha o telefone na caderneta e, quando começa a discar já se esqueceu o número que acabou de olhar, tendo que consultar novamente a caderneta. Obviamente que nesse caso não há grandes prejuízos, mas, se a pessoa estivesse em seu trabalho ou estudando e necessitasse de uma atenção maior, com certeza estaria tendo problemas.

    A maconha afeta o desempenho sexual?

    A maconha não afeta diretamente o desempenho sexual mas, como já foi visto ela trás tanto para o homem quanto para a mulher alterações hormonais que podem resultar em problemas. Além do mais, a maconha produz tantas alterações mentais que pode tirar a concentração necessária durante o ato sexual.

    Alterações Psicológicas

    As principais alterações psicológicas da intoxicação induzida pela canábis consistem de: sensação de relaxamento, leveza e tranqüilidade; risos imotivados; loquacidade; hilaridade; euforia; aumento da auto-percepção e da auto-estima; alucinações visuais, auditivas e oníricas; ilusões visuais, olfativas, auditivas, gustativas; aumento da percepção das cores, sons, texturas e paladar; aumento da auto-confiança; aumento da sociabilidade, capacidade de introspecção e da sensibilidade interpessoal; aumento do apetite; despersonalização; depressão; sonolência; ansiedade; irritabilidade; isolamento social; letargia; ataques de pânico; persecutoriedade; delírios; disforia; pensamento vago.

    Reações Psicológicas à Maconha:

    Existem evidências que o uso de maconha leva a efeitos negativos agudos de grande proporção nos usuários regulares e estes podem estar relacionados com as quantidades consumidas e agravados por fatores constitucionais como traços de personalidade e vulnerabilidade.

    A maconha e a mudança de humor:

    As respostas agudas podem incluir euforia, indiferença e relaxamento e os efeitos adversos de seu uso são comuns e geralmente de curta duração com persistência ou reaparecimento com o uso contínuo da droga.

    Algumas pesquisas realizadas mostraram os seguintes resultados:

    De 1000 pessoas entrevistadas na Nova Zelândia, em 1996, com idade entre 18-25 anos, 38% afirmaram fazer uso de maconha e entre estes 22% apresentaram ataques de pânico ou ansiedade, sendo que nas mulheres estes sintomas foram duas vezes maiores. Em outra pesquisa observou-se que em torno de 40,5% da população entrevistada apresentavam transtornos depressivos, já em 1998 foi descrito que em uma população de 268 pessoas que faziam uso de maconha por pelo menos 10 anos, fumando em torno de 2 baseados por dia, 21% delas apresentavam sintomas de ansiedade, paranóia e depressão e outras 21% apresentavam cansaço e baixa motivação. Na relação uso de maconha e tentativas de suicídio, 16,2% dos indivíduos que fizeram alguma tentativa de suicídio obedeciam aos critérios de abuso ou dependência de maconha.

    Vulnerabilidade dos Efeitos Negativos da Maconha

    Adolescência: Determinado como um período de maior vulnerabilidade para efeitos mentais negativos da maconha devido a problemas emocionais freqüentes como angústia, depressão e falta de objetivos e a interferência do uso de maconha nos processo de aprendizagem.

    O multi-uso de drogas: Usuários de maconha que também fazem uso de outras drogas ou álcool parecem experimentar problemas de saúde mental mais severos que aqueles que usam somente maconha.

    Personalidade: Não há uma tipologia de distúrbio ou personalidade específica do usuário de maconha. Mas observa-se que alguns usuários apresentam traços predispostos como ansiedade social ou disforia, fazendo uso da substância para alívio de sentimentos desagradáveis. O abuso de substância foi identificado em 83,6% dos indivíduos com distúrbios de personalidade anti-social.

    Aluney Elferr

    Teólogo, Psicanalista, Terapeuta em Drogas

    INSTITUTO NAF BRASIL

Comments are closed.