“HUGV está subutilizado e poderia desafogar média e alta complexidade”, diz Serafim

Líder do PSB na ALE-AM (Assembleia Legislativa do Estado), o deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) alertou que o HUGV (Hospital Universitário Getúlio Vargas) está subutilizado e com ajuda financeira poderá desafogar os casos de média e alta complexidade do estado.

“Eu visitei o HUGV e ele é aquilo que se pode chamar de hospital de primeiro mundo, e sugiro aos demais colegas que visitem o hospital, porque ali está uma boa parte da solução dos problemas na cidade de Manaus, no que diz respeito à média e alta complexidade. Está faltando conversa. Está faltando entendimento entre a Susam e HUGV”, avaliou Serafim.

O parlamentar concedeu, na manhã desta quinta-feira (27), uma sessão de tempo no plenário da ALE-AM, para o superintende do HUGV, professor Júlio Melo, para falar sobre as necessidades da unidade hospitalar.

“O HUGV está à disposição da população do estado do Amazonas. Nós precisamos de alguns aparelhos para que possamos melhorar o atendimento e para que a gente possa ampliar a nossa alta complexidade. Estamos aqui, na ALE-AM, para pedir ajudar para implementar a nossa ressonância magnética, a nossa tomografia, a nossa aerodinâmica, endoscopia alta, endoscopia baixa, entre outros”, disse o superintendente do hospital durante o pronunciamento.

Júlio Melo destacou ainda que ao menos 80% da população médica do estado passou pelo HUGV. “O nosso quadro é muito bem referendado em todo país. O que a gente precisa é de um apoio maior dos deputados”, observou o médico.

O deputado Serafim explicou que irá estudar a viabilidade de uma emenda impositiva diretamente à Susam para que a pasta formalize convênio direto com o Hospital Getúlio Vargas.

“Há um dificuldade nas emendas impositivas, porque como se trata de governo federal você não pode disponibilizar recursos estaduais, mas vamos ver a possibilidade de disponibilizar o valor da emenda para a Susam. Dessa forma, acredito que a secretaria possa realizar um convênio direto com o Hospital Getúlio Vargas”, concluiu Serafim.