‘Corremos o risco de ver uma paralisação dos servidores da saúde’, diz Serafim

O deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) voltou a defender, nesta terça-feira, 28, que o governo estadual regularize os salários atrasados de profissionais da saúde, como, médicos, enfermeiros e auxiliares de enfermagem. Para Serafim, é iminente o risco desses trabalhadores paralisarem as atividades em meio à pandemia de Covid-19 no estado.

“O que é que nós estamos assistindo? Manifestações na frente do Hospital e Pronto Socorro 28 de agosto de pessoas revoltadas porque estão sem receber há quatro meses, isso é inadmissível. O governo precisa resolver a questão dos salários atrasados, porque senão corremos o risco de uma paralisação e aí será o caos elevado ao cubo”, disse Serafim durante a sessão virtual da ALE-AM (Assembleia Legislativa do Estado).

Na semana passada, lembra o deputado, o governo anunciou o pagamento de R$ 60 milhões, em salários atrasados, a médicos e outros terceirizados da saúde.

“Mas seguimos recebendo reclamações: “Olha, nós continuamos com 4 meses sem receber! Olha, nessa relação dos R$ 60 milhões nós não fomos contemplados”. Então eu creio que essa é a primeira questão que o governo tem que olhar e resolver, e registre-se, parte desses valores devidos foram acordos feitos lá no passado que o governo não cumpriu, então houve uma quebra na confiança e depois que quebra a confiança fica muito difícil resgatar”, avaliou Serafim.

‘O governador precisa acordar’, diz Serafim sobre pedido de inquérito da PGR ao STJ

O deputado Serafim Corrêa destacou ainda que na segunda-feira, 27, a PGR (Procuradoria-Geral da República) pediu ao STJ (Supremo Tribunal de Justiça) abertura de inquérito para apurar a compra pelo governo do Amazonas de 24 ventiladores hospitalares pelo valor de R$ 2,9 milhões.

“O STJ é o foro competente para julgar o governador do estado, então eu quero alertar o governador: é ele que está no olho do furacão, não é nenhum secretário, não é nenhuma outra pessoa. A (PGR) entrou exatamente no STJ porque o STJ tem autoridade para inclusive afastar o governador do cargo, e o governador não está dando a relevância que isso merece”, disse Serafim durante discurso.

Segundo o Ministério Público de Contas, o equipamento foi adquirido com sobrepreço e não é adequado para tratamento de pacientes com Covid-19.

“O governador precisa acordar, vai sobrar para ele, não vai sobrar para nenhum assessor, para nenhum secretário, nem para o vice-governador, é para ele que vai sobrar, e ele precisa ter clareza disso, eu insisto”, concluiu o deputado.