Brasil sofrerá retaliação se mineração em área indígena for liberada, diz Serafim

O Brasil pode sofrer retaliação comercial mundial se o processo de mineração em terras indígenas for liberado. A afirmação foi feita pelo deputado Serafim Corrêa (PSB), na manhã desta quinta-feira, 06, após o presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) encaminhar ao Congresso Nacional, projeto de lei autorizando a exploração.

 “O presidente da República anunciou que encaminhou o projeto de lei autorizando mineração, agricultura e pecuária em terras indígenas. Quero lembrar que só de era cristã, os índios têm 1.500 anos a mais do que nós no Brasil. É importante respeitar a presença dos índios. Nós não temos esse direito, porque quando nós ocupamos o país, eles já estavam aqui”, defendeu o parlamentar.

O deputado disse, em tribuna da Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM), que  há quatro motivos pelos quais o Brasil pode ser prejudicado comercialmente.

 “Efetivamente o mundo inteiro, principalmente os 20 maiores países do mundo, acordaram para a preservação ambiental. Existem quatro motivos pelos quais eles podem retaliar outro país menor ou até um dos que estejam dentro do G20. Primeiro motivo é a questão ecológica. Segundo é a questão das drogas. Terceiro é a questão do terrorismo e o quarto é a questão das etnias”,  alertou.

O líder do PSB na Casa, chamou atenção para o risco de retaliação comercial mundial que o Brasil corre, caso a autorização da mineração e outras atividades econômicas em terras indígenas seja regulamentada.

“No caso dos índios brasileiros, junta a etnia e a questão ecológica. E aí, não tem dúvidas, nós sofreremos retaliações comerciais no mundo inteiro e isso, obviamente é muito ruim, no momento em que o Brasil sai, muito devagar, mas sai, da crise econômica que foi devastadora na nossa economia”, concluiu Serafim.

Texto: Luana Dávila

Foto: Marcelo Araújo