Affimar Cabo Verde: Tudo deve ser apurado

Conheci Affimar Cabo Verde em 1958, quando entramos no Colégio Dom Bosco, onde convivemos até 1965. Ele estudava e trabalhava na própria secretaria do Colégio. Quando concluiu o curso passou a ser professor. Entrou na Faculdade de Direito, mais tarde fez concurso para Juiz de Direito e foi trabalhar no interior. De Coari veio para Manaus.

Quando cheguei ao cargo de Prefeito ele era o Juiz mais antigo da capital e por essa razão o quarto na linha sucessória. Em 2006, com o impedimento do vice-prefeito e do presidente da Câmara, ele assumiu a Prefeitura, fato que se repetiu outras vezes até chegar ao cargo de Desembargador. Quando assumiu a primeira vez brinquei com ele: “É o Colégio Dom Bosco de 58 no poder.”

No mês de agosto passado tive a triste notícia da sua morte repentina. Hoje, pela imprensa e pelo próprio site do Tribunal de Justiça, tomei um susto ao ler a notícia de que ele não teria falecido de morte natural, mas sido assassinado. As notícias dão conta que o Tribunal de Justiça está tomando todas as providências para que nada fique sem resposta.

É o que todos esperamos. Afinal, se confirmada esta notícia, estaremos diante de um bárbaro crime que ceifou a vida de um homem bom e desafiou o próprio Poder Judiciário, pois se o crime organizado chega ao ponto de matar um Desembargador, como fica a vida do cidadão comum, do homem do povo?

8 comments

  1. Parabens pela iniciativa!!!!
    tenho orgulho de ter vivenciado e participado do seu honroso modo de comandar.Se DEUS quiser esta com os dias contados e marcados para voltar.

    Abrcs..Walid Saleh

  2. Infelismente já é comum na cidade cidade de manaus crime de “assassinatos”,que a mídia apelidou de “crime de pistolagem”,camuflando assim a realidade da falta de segurança no estado do Amazonas,talvez se fosse de revolver seria de “revolvagem”. Execuções em pleno dia sem medo a às vezes até bem perto da pólícia.
    O governo do Estado nada mais faz do que a propaganda, que não nos causa segurança alguma.Todos os dias vemos na cidade:
    -assassinatos;
    -latrocínios;
    -furtos e roubos (incontáveis);
    -tráfico;
    -crimes sem solução;
    -estupros;
    -pedofilia;
    -o laborátorio de criminalística da funcionando de vento em popa(como sempre funcionou na base do cacete, onde os suspeitos acabam confessando seus crimes);
    -E agora o mais surpreendente assassinato de juízes, se uma pessoa ilustre como este desembargador foi assassinado, fico imaginando o cidadão de Manaus da periferia, “EU”.

    lamentável
    Daniel costa

  3. Caro Sarafa vou até fugir do assunto do post, por que ta faltando o link fale conosco e sugira um debate, vou sugerir que você fale do SAMU, pois domingo a acritica denunciou sucateamento no serviço, sabemos que o tal sucateamento e mais uma injuria, e um motorista do SAMU falou pra mim o seguinte…..O prefeito novo esta louco para comprar Ambulâncias novas….para melhorar o serviço???? Claro que não ele esta de olho no superfaturamento que gerara tal operação, lembremos também do famoso caso das viaturas policiais Ford Explorer que o cidadão hoje prefeito inventou tempos atras e resultou em sucateamento muito rapido ou seja, dinheiro jogado fora e atendimento precario da população em troca do favor ao amigo e ao proprio bloso essa é a manaus que o povo escolheu agora vamos sofrer junto, Deus me proteja e faça com que eu não precise do Samu…

  4. Prezado Serafim,

    Conhecestes o Dr. Affimar em 1958 no Colégio Dom Bosco e reativastes o contacto quando ele assumiu como Prefeito pela primeira vez. Lembro dessa conversa por que estava na sala, em que você disse “É o Colégio Dom Bosco no poder” e ele com a sua humildade sorriu. Daí em diante todas as vezes que viajavas e ele assumia, você recomendava para que eu o acompanhasse em todos os eventos com a participação do Prefeito. Por isso, posso dizer que também conviví um pouco com o Dr. Affimar Cabo Verde. Realmente era uma pessoa simples, de gestos simples, contador de histórias desde sua infância, enfim uma pessoa que nunca quis se aproveitar do cargo que chegou a ocupar por várias vezes. Que Deus o tenha em bom lugar. Que Deus também ilumine a Polícia pra confirmar a agora suspeita de que ele não teve morte natural, e puna o culpado ou os culpados.

  5. Daniel:
    A sociedade vai cobrar a elucidação desse caso. Pela memória do Afimar e pela vida de todos. A nós, cabe não deixar que esqueçam do caso, sem esclarecimentos completos.

  6. Claudio:
    O SAMU é um serviço nacional, uma parceria do Governo Federal, que entra com as ambulancias e 50% da manutenção, Manaus entra com os outros 50%. O Governo do Estado deveria entrar com 25% mas recusou-se em 2006 e eu atendi o pedido do Ministro Saraiva Felipe e assumi pelo Município a parte que era do Estado.
    É um serviço que já salvou milhares de vidas. Agora, é óbvio que a manutenção é diária. Quem estiver dirigindo o SAMU tem que trabalhar e muito, como fez a equipe que esteve lá até 31.12.

  7. Campa: vamos em frente. A memória do Afimar merece a cobrança e acompanhamento do caso.

Comments are closed.