• 26.08.2014Sem categoriaCOMPARTILHAR Deixe um Comentário

    Do site do TSE:

    O ministro Admar Gonzaga do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou, em decisão liminar, que o Partido dos Trabalhadores (PT) do estado do Maranhão suspenda a utilização do horário destinado à propaganda dos candidatos a deputado estadual para a divulgação ou pedido de votos para o pleito presidencial.

    Na representação apresentada ao TSE, a coligação de Aécio Neves,”Muda Brasil”, informou que Dilma Rousseff e sua coligação “Com a Força do Povo” teriam sido beneficiados com a promoção de sua candidatura no programa dos candidatos ao cargo de deputado estadual  pelo PT, na televisão, no dia 22 de agosto.

    Em sua decisão liminar, o ministro Admar disse que, após assistir ao programa contestado, ficou evidente a veiculação de pedido de votos para presidente e vice e o descumprimento da norma que trata sobre o tema. “A propaganda, portanto, veiculou mensagem que implica a desnaturação da finalidade prevista pelo legislador, que apartou as publicidades em dias e horários distintos, e, ainda definiu ressalvas para as referências sobre candidaturas a outros cargos”, relatou o ministro.

    O ministro explicou que o art. 53-A Lei das Eleições (9.504/1997) veda a utilização do horário reservado aos candidatos às eleições proporcionais para a veiculação de propaganda de candidato em disputa de cargos majoritários. Durante a exibição do programa, a lei só permite a utilização de legendas com referências aos candidatos majoritários, ou ao fundo, de cartazes ou fotografias desses candidatos.

    RC/GA

    Processo relacionado: Rp 109304

    Comentário meu: Nesse mesmo sentido, candidatos a deputados estaduais e federais não podem pedir votos para os candidatos majoritários – presidente, governador e senador – , mas aqui no Amazonas as duas alianças que têm mais tempo de TV estão fazendo isso com muita ênfase. Para manter a mesma linha de ação do TSE, creio que o TRE-AM também vai agir proibindo tal prática.

  • Em simulação de segundo turno, Marina tem 45% e Dilma, 36%.
    Instituto ouviu 2.506 eleitores entre os últimos sábado e segunda-feira.

    Do G1, em Brasília

    Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (26) aponta Dilma Rousseff (PT) com 34% das intenções de voto para presidente da República e Marina Silva (PSB), com 29%. O candidato do PSDB, Aécio Neves, tem 19%, seguido de Pastor Everaldo (PSC) e Luciana Genro (PSOL), com 1% cada. Os outros seis candidatos somados acumulam 1%.

    O levantamento indica que, em um eventual segundo turno entre Dilma Rousseff e Marina Silva, a ex-senadora teria 45% e a atual presidente, que tenta a reeleição, 36%.

    Encomendada pela TV Globo e pelo jornal “O Estado de S. Paulo”, a pesquisa é a primeira do Ibope com Marina Silva como candidata do PSB. No levantamento anterior do instituto, divulgado no último dia 7, o candidato do partido ainda era Eduardo Campos, que morreu em acidente aéreo no último 13. Naquela pesquisa, Dilma tinha 38%; Aécio  Neves (PSDB), 23%; e Eduardo  Campos (PSB), 9%.

    De acordo com a pesquisa desta terça-feira, 7% dos entrevistados disseram não saber em quem votar e 8% responderam que votarão em branco ou nulo. Na pesquisa anterior, os que responderam não saber eram 13% e brancos e nulos, 11%.

    O Ibope ouviu 2.506 eleitores em 175 municípios entre os últimos sábado (23) e segunda-feira (25). O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00428/2014.

    Confira abaixo os números na modalidade estimulada da pesquisa (em que o pesquisador apresenta ao entrevistado um cartão com os nomes de todos os candidatos):

    - Dilma Rousseff (PT): 34%
    - Marina Silva (PSB): 29%
    - Aécio Neves (PSDB): 19%
    - Luciana Genro (PSOL): 1%
    - Pastor Everaldo (PSC): 1%
    - José Maria (PSTU): 0% *
    - Eduardo Jorge (PV): 0% *
    - Rui Costa Pimenta (PCO): 0% *
    - Eymael (PSDC): 0% *
    - Levy Fidelix (PRTB): 0% *
    - Mauro Iasi (PCB): 0% *
    - Brancos/nulos/nenhum: 7%
    - Não sabe: 8%

    * Cada um dos seis indicados com 0% não atingiu 1% das intenções de voto; somados, eles têm 1%

    Espontânea
    Na modalidade espontânea da pesquisa (em que o pesquisador somente pergunta ao eleitor em quem ele pretende votar, sem apresentar a relação de candidatos), o resultado foi o seguinte:

    - Dilma Rousseff (PT): 27%
    - Marina Silva (PSB): 18%
    - Aécio Neves (PSDB): 12%
    - Outros: 2%
    - Brancos/nulos/nenhum: 12%
    - Não sabe: 28%

    Segundo turno
    O Ibope simulou os seguintes cenários de segundo turno:

    - Marina Silva: 45%
    - Dilma Rousseff: 36%
    - Brancos/nulos/nenhum: 9%
    - Não sabe: 11%

    - Dilma Rousseff: 41%
    - Aécio Neves: 33%
    - Brancos/nulos/nenhum: 12%
    - Não sabe: 12%

    Rejeição
    Dentre os 11 candidatos a presidente, Dilma Rousseff tem a maior taxa de rejeição (percentual dos que disseram que não votam em um candidato de jeito nenhum). Veja os números:

    - Dilma Roussef: 36%
    - Aécio Neves: 18%
    - Pastor Everaldo: 14%
    - Zé Maria: 11%
    - Marina Silva: 10%
    - Eymael: 9%
    - Levy Fidelix: 9%
    - Luciana Genro: 8%
    - Rui Costa: 7%
    - Eduardo Jorge: 7%
    - Mauro Iasi: 6%

    Avaliação do governo
    A pesquisa mostra que a administração da presidente Dilma tem a aprovação de 34% dos eleitores – no levantamento anterior, divulgado no último dia 7, o índice era de 32%. O percentual de aprovação reúne os entrevistados que avaliaram o governo como “bom” ou “ótimo”.

    A pesquisa mostra ainda que o índice dos que desaprovam a gestão, ou seja, consideram o governo “ruim” ou “péssimo”, é de 27% (31% no levantamento anterior). Consideram o governo “regular” 36% (na pesquisa anterior, 35%).

    O resultado da pesquisa de avaliação do governo Dilma foi o seguinte:
    - Ótimo/bom: 34%
    - Regular: 36%
    - Ruim/péssimo: 27%
    - Não sabe: 2%

    Encontrou algum erro? Fale conosco

    Pesquisa Ibope presidencial (Foto: G1)

     

  • Do d24am:

    Marcelo Serafim foi o primeiro dos candidatos ao Senado a ser entrevistado no DEZ na TV. Foto: Eraldo Lopes

    Manaus – Primeiro dos candidatos ao Senado a ser entrevistado no quadro ‘Sabatina’, do programa DEZ na TV, o candidato do PSB, Marcelo Serafim, declarou-se contrário ao aborto e à redução da maioridade penal, além de dizer ser favorável à união estável entre pessoas do mesmo sexo, mas contra o casamento.

    Questionado sobre os temas polêmicos, Marcelo Serafim afirmou que seus posicionamentos, por vezes, custam votos e apoios políticos. “Tenho minhas opiniões e convicções, posso perder votos e apoios, mas preciso falar a verdade a quem me escuta”, afirmou o candidato, que atualmente é vereador e já foi deputado federal.

    Marcelo afirmou ser contrário ao aborto por questões religiosas – ele é católico – e afirmou que seus eleitores conhecem seu posicionamento. Ele defendeu que haja duras penas não contra as mulheres, mas contra médicos que realizam abortos ilegais e homens que incentivam suas mulheres a fazer uso de tal prática. “Precisamos de políticas públicas de planejamento familiar, só assim faremos as mudanças que a sociedade precisa”, afirmou ele.

    Sempre citando a candidata Marina Silva em suas respostas, o candidato afirmou também ser contrário à redução da maioridade penal, por entender que essa medida não vai resolver os problemas da segurança pública. “Isso vai fazer com que os bandidos coloquem crianças ainda mais jovens no mundo do crime. O que precisamos é trazer para o nosso país, propostas que resgatem nossa juventude, como a escola de tempo integral que é uma das principais propostas de governo da nossa candidata Marina Silva”, afirmou ele.

    Questionado sobre a união entre pessoas do mesmo sexo, Marcelo Serafim afirmou ser favorável à união civil, mas contrário à utilização do termo casamento. “Sou contra o casamento como alguns pintam, mas não há como ser contrário à união estável.  Não podemos extirpar as pessoas da sociedade por terem uma opção sexual diferente, precisamos abraçar e amar como amamos a todos”, afirmou ele.

    Sobre sua atuação no Senado Federal em caso de vitória, Marcelo Serafim afirmou que não será um senador apenas do Amazonas, mas de todo o Brasil, e tentará dar atenção especial à área da saúde – Marcelo é farmacêutico. “O Brasil massacra cobrando 30% de impostos em cima de medicamentos. Temos que dar justiça social no preço dos remédios, em países desenvolvidos cobram cerca de 8% de impostos. Tenho convicção que, chegando ao Senado, ajudarei a presidente Marina Silva a reduzir essa carga tributária”, afirmou ele.

    Nesta quarta-feira, o entrevista do DEZ na TV será o candidato Francisco Praciano (PT). Na quinta-feira, será a vez de Omar Aziz (PSD). As entrevistas começam sempre às 12h50, no canal 23 da NET ou 36 da TV Aberta, e têm duração de 15 minutos.

     

  • Nesta terça-feira (26), o candidato ao Senado pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB), Marcelo Serafim foi o entrevistado do programa Dez na TV. A entrevista durou 15 minutos e teve temas polêmicos, entre eles, a maioridade penal, aborto e o casamento entre pessoas do mesmo sexo, assuntos estes respondidos com tranquilidade pelo candidato que agradeceu o espaço cedido pela emissora para expor suas opiniões sobre temas tão atuais e relevantes para nossa sociedade.

    “Não vamos resolver o problema da criminalidade no Brasil reduzindo a maioridade penal é óbvio que todas as vezes que acompanhamos crimes bárbaros cometidos por jovens, assassinatos, tráfico de drogas e outros mais, há uma sensibilização da sociedade para que aja a redução da maioridade penal, no entanto, se houver essa diminuição, as pessoas que comandam o crime, elas começarão a pegar crianças para cometerem esses delitos. O que precisamos é efetivamente trazer para o nosso país, propostas que resgatem nossa juventude, como a escola de tempo integral que é uma das principais propostas de governo da nossa candidata a presidência da República Marina Silva”, disse Marcelo Serafim que reforçou o desejo  de estar no Senado Federal  para junto com Marina construir esse Brasil diferente com escola de qualidade.  “Nós precisamos valorizar o jovem e isso só acontece através da oportunidade”, argumentou.

    Sobre o aborto Marcelo Serafim disse que por convicção religiosa e familiar não é a favor desta prática. “Quem vota em mim, vota sabendo desta minha posição. Na época em que fui Deputado Federal tive Projetos de Lei apresentados que endureciam a pena, não a mulher, mas aquelas pessoas que forçavam a mulher ao aborto, um médico mal intencionado, um namorado que engravida a mulher e não quer assumir a responsabilidade de criar um filho”, disse. Marcelo Serafim afirmou que trabalhará no Senado para que o país tenha políticas públicas de planejamento familiar. “Temos que nos posicionar a favor da família, é apenas com a valorização familiar que faremos as grandes mudanças que a sociedade precisa”, enfatizou.

    Outro tema polêmico foi a união entre pessoas do mesmo sexo. “Não podemos nos colocar de forma contrária a união civil entre pessoas do mesmo sexo. Elas vivem uma vida, constroem patrimônio e elas têm que ter os direitos civis, isso não pode ser eliminado. O próprio Papa Francisco, assim, como eu defende essa posição. Não podemos extirpar as pessoas da sociedade por terem uma orientação sexual diferente da minha ou da sua, temos que abraçar essas pessoas e respeitá-las”, disse Marcelo Serafim.

    O candidato ao Senado falou que tem opiniões e convicções próprias e, as vezes,  se perde o voto e o apoio político por expor as opiniões, mas ele prefere mil vezes perder um apoio aqui, outro ali e falar a verdade para as pessoas. O eleitor tem que saber o posicionamento dos seus candidatos disse Marcelo Serafim durante a entrevista.

    Senado

    Marcelo Serafim definiu o Senado como a representação dos Estados e a Câmara dos Deputados como a representação do povo. “Na Câmara, São Paulo, por exemplo, tem 70 deputados e o Amazonas oito, no Senado são três contra três, eu serei o Senador da República, de todo Brasil e para isso temos que ter uma visão nacional, por exemplo, temos que dar os 10% da receita  corrente bruta do nosso país para o financiamento da Saúde, ao longo dos dez últimos anos o Governo Federal tem fugido  desta obrigação, tem deixado apenas nas mãos dos Estados e Municípios.  Eu estarei defendendo bandeiras prioritárias na saúde que é uma área que conheço, por ser farmacêutico. Hoje, infelizmente, o brasileiro é massacrado com a cobrança de 30% de tributo nos medicamentos e eu tenho proposta para mudar esta triste realidade, temos que retirar essa carga tributária dos medicamentos”, disse.

  • O desequilíbrio das contas públicas do Estado foi o  tema do discurso do deputado estadual Marcelo Ramos (PSB), na manhã desta terça-feira, no plenário da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), quando relembrou que o Estado gastou  em 2013, R$ 983 milhões a mais do que pagou. “No primeiro dia de janeiro de 2014, sem fazer nada, o Amazonas já tinha uma dívida de R$ 983 milhões acima do que pagou. Ou seja, o governo passou cheque de um dinheiro que não existia”, afirmou, completando que as informações divulgadas estão no site de transparência do Governo Estadual (www.trasparencia.gov.br).

    Ramos disse ainda que além de gastar mais do que arrecada, o Estado  gasta mal os recursos governamentais e recordou que em 2013, o governo contraiu empréstimo para pagar despesas de custeio. Ele compara a situação com o dono de uma casa, que para pagar as contas de água ou energia elétrica, por exemplo, pede empréstimos. “Isso significa estar no fundo do poço do ponto de vista do equilíbrio de suas contas. A cada número que vejo, aumenta minha preocupação com as contas do Estado”, frisou.

    O socialista enfatizou que em 2016 e 2017,  o Amazonas estará pagando os juros das dívidas  dos empréstimos, principalmente de recursos  destinados à ponte Rio Negro, Arena Amazônia, Prosamim e também para pagar as despesas de custeio.

    O deputado  também citou  que o governo utilizou recursos do Fundo do Desenvolvimento do Interior Turismo e Infraestrutura (FTI) e do Fundo da Micro e Pequena Empresa e Assistência Social (FMPS) para outras finalidades,  contrariando o objetivo real para que são destinados.

    “No Fundo de Desenvolvimento do Turismo, por exemplo, foi direcionado para pagar viagens”, criticou.

    Ramos adiantou que vai ao Ministério Público Estadual (MPE) para solicitar que sejam tomadas providências sobre o desvio dos recursos dos fundos  para outras finalidades.

    • Marina visitou a Bienal do Livro de São Paulo nesta segunda, 25

    Do ESTADÃO:

    O coordenador financeiro da campanha de Marina Silva, deputado Márcio França, disse na tarde desta segunda-feira, 25, que pesquisas internas mostram um resultado “avassalador” em favor da candidata do PSB. De acordo com ele, a pesquisa Ibope de que será divulgada nesta terça-feira, 26, mostrará que Marina é uma das favoritas na corrida presidencial.

    “Para quem era uma zebra, eu acho que hoje a Marina é favorita”, disse o coordenador ao chegar para acompanhar o debate promovido pelo SBT com os candidatos ao governo de São Paulo. França é candidato a vice na chapa do tucano Geraldo Alckmin (PSDB).

    França não respondeu qual é o patamar “avassalador” em que Marina deve aparecer amanhã, mas disse que os “números são muito fortes”. “Os números que a gente tem de pesquisas internas, que o Ibope vai revelar amanhã, são avassaladores. Vai ter que se acostumar a um outro patamar”, disse. “O Eduardo brigava para ficar famoso. Agora é como se as pessoas quisessem conhecê-lo. Ficaram com saudade de uma coisa que não conheciam. Tudo isso, de certa forma, deságua na Marina”, avaliou.

    França comentou ainda as declarações de Aécio Neves (PSDB) de que o bom desempenho de Marina Silva é como uma “onda”, e que acredita voltar ao segundo lugar isolado nas pesquisas “dentro de 15 ou 20 dias”. “O problema é o tamanho da onda. Tem onda de 2 metros, de 5 metros, de 10 metros. Aí não tem depois o que fazer se for muito grande”, disse.

    França afirmou ainda que na classe C “em especial” os números de Marina são impressionantes. “A classe C desloca sempre junto, as pessoas falam entre si. Ao se convencerem (em quem votar), as pessoas convencem outras”, disse.

    Questionado sobre seu novo papel de tesoureiro de campanha, França afirmou que assumiu o cargo nesta segunda e que ainda “não entrou nada”. “Mas soube por amigos que vai entrar. Empresário entra muito pela chance (nas pesquisas). É da índole se deslocar pela chance”, afirmou.

    França comentou ainda a situação de resistência de Marina em dividir o palanque com Alckmin em São Paulo. Segundo o pessebista, a situação é a mesma de antes da morte de Eduardo Campos e agora caberá ao vice de Marina abrir espaço para o tucano. “Caberá a Beto Albuquerque pedir votos a Alckmin no programa eleitoral”, afirmou.

  • Após a morte de Eduardo Campos, fato que teve repercussão internacional e deixou chocados os militantes do Partido Socialista Brasileiro (PSB) e todo o país, Marcelo Serafim retomou com muito entusiasmo as suas atividades de campanha para o Senado. Nesta segunda-feira (25), o candidato às 5h30 da manhã, já estava na porta de uma empresa do Polo Industrial de Manaus (PIM) levando as suas propostas aos trabalhadores.  “Chegou a hora da virada, da renovação de verdade. Obrigado a todos da Yamaha que receberam e tiraram um tempinho para ler nossas propostas”, disse Marcelo Serafim que incluiu no seu roteiro de andanças outra empresa, a Showa para conversar com os funcionários.

    Garra, determinação, força de vontade e energia são ingredientes que tem motivado Marcelo Serafim em suas caminhadas tanto na capital quanto no interior do Estado. Neste fim de semana, o candidato visitou o Cacau Pirera e Iranduba a 9 km de Manaus.  “A convite de meu amigo Nego Jiboia, caminhamos e conversamos com os moradores das zonas rurais, levando nossas propostas de renovação de verdade para o Amazonas”, enfatizou.

    Marcelo Serafim também foi ao Ramal do Leão, na AM 010, para conhecer a realidade local e ouvir os moradores. “Vamos à luta rumo a vitória que por certo Deus nos dará. Dia de muito trabalho pelo interior e daqui a pouco vamos pra mais uma panfletagem de campanha”, disse entusiasmado, referindo se ao ‘bandeiraço’ realizado no último domingo, na Bola do Eldorado, na zona centro sul de Manaus.

    De acordo com Marcelo Serafim a ida as ruas e ao interior tem sido muito produtiva. “No domingo fizemos um bonita ação da Bola do Eldorado. Agradeço à todos que estão acreditando e unindo forças. Somos juntos a renovação que nosso Amazonas precisa no Senado Federal”, enfatizou.

  •  

  • « Entradas Anteriores