Serafim revela preocupação com pressão sofrida pelos municípios do interior

Serafim revela preocupação com pressão sofrida pelos municípios do interior

Na manhã desta quarta-feira, 29 de novembro de 2017, a Assembleia Legislativa do Amazonas, sediou o Primeiro Seminário Municipalista que contou com a presença de vários prefeitos do interior do estado. Muitos temas foram abordados. O prefeito de Manaquiri, Jair Souto, que tem larga experiência e já foi prefeito outras vezes, abordou questões relevantes. Ele disse que os municípios do interior são demandados por outros poderes, outros entes públicos, para pagar despesas que não são feitas pelo município. Jair manifestou indignação ainda com o que ocorreu em Tapauá, também no interior. “O prefeito se mostrou surpreso porque a administração municipal de Tapauá está sendo acusada de desviar R$ 60 milhões. Mas, como é possível se o município só recebeu a metade disso? Essa conta não fecha. Jair não entrou no mérito se há coisa errada ou não, mas ele questiona a maneira como essas acusações estão sendo feitas”, destacou Serafim Corrêa.

O deputado continuou. “Depois do seminário, constatei pelas redes sociais que houve uma rebelião de presos em Tapauá onde um guarda municipal foi feito refém. O que ele fazia na delegacia? Tinha ido levar comida para os presos! Refeição paga pela prefeitura. Ora, os detentos são de responsabilidade do Estado. Em seguida, outra divulgação dava conta de que o presidente da Associação dos Oficiais da PM, estaria indignado porque um aspirante, que está no município, tem o aluguel pago pela prefeitura. A regra do Ministério Público é que o servidor que tem sua moradia paga pelo município é corrupto. Eu queria saber quantos promotores do interior, juízes, defensores, médicos, tem suas moradias pagas pela prefeitura. Quero manifestar a minha preocupação com o encaminhamento desse tipo de situação e ao mesmo tempo, mostrar um outro lado e uma necessidade que os prefeitos do Amazonas ainda não estão compreendendo. A de que o Brasil de hoje exige transparência. Para que se tenha uma ideia, exatamente hoje, 30 de novembro, é o último dia para a prestação de contas do FNDE, do Fundeb. Vocês sabem quantos municípios prestaram contas, dos nossos 62? Nenhum, meus amigos. Nem Manaus. Em relação ao quarto bimestre, apenas 4 prestaram conta”, enfatizou Serafim. Segundo o deputado as cidades do interior estão em descompasso com a realidade brasileira. Estão à deriva e sofrendo pressão de outros poderes, além de desconhecerem a evolução tecnológica do Governo Federal.