Serafim repudia cortes de R$ 38 milhões no orçamento da Ufam

O deputado Serafim Corrêa (PSB) repudiou o corte de R$ 38 milhões no orçamento da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), por parte do Ministério da Educação, e disse que a falta de investimentos no segmento trará o desemprego como resultado da falta de qualificação profissional.

A afirmação foi dada na manhã desta terça-feira (07), na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), durante a visita de dezenas de professores da rede pública estadual de ensino, que pedem aumento salarial de 15%.

“O corte de 30% em todas as universidades brasileiras federais é algo inimaginável. É algo que merece o nosso repúdio. Isso é a mais absoluta falta de noção com o que é necessidade da educação para nossa vida e para o nosso futuro. O maior problema de não absorção no mercado de trabalho é a falta de qualificação e se nós deixarmos de investir nas universidades federais, cada vez menos nós teremos profissionais habilitados e teremos maior número de desempregados”, defendeu o líder do PSB na casa.

Serafim Corrêa ainda disse que é a favor da luta dos professores e que a greve é um direito legítimo do trabalhador.

“Ninguém pode se manifestar contra a greve, ela é um direito legítimo do trabalhador. Com todo respeito pela decisão judicial, mas no meu entender, não adianta levar a questão para o lado jurídico, para o lado econômico ou financeiro, quando o fato político é maior. A política no Brasil vem se criminalizando nos últimos anos, o que é muito ruim para qualquer entendimento. Meu apoio aos professores e meu voto e meu desejo que tudo se resolva”, explicou.

O deputado acredita que o diálogo entre os poderes, no que chama de “Pacto de Governança”, é de fundamental importância para solucionar o problema.

“A minha posição é muito clara. Sou a favor da luta dos professores. Entendo que ao longo da vida dei provas disso. Na última oportunidade quando estiveram os professores, fiz um apelo para que o diálogo avançasse e fosse quebrada aquela resistência, por parte do Governo do Estado, de não oferecer àquela contraproposta (4,74%). A contraposta oferecida aos professores não os agradou, mas esse passo do governo, já reflete num muro que foi quebrado”.

Para Serafim, a presença do presidente da Assembleia, deputado Josué Neto (PSD), no diálogo entre governo e professores, previsto para a tarde de hoje, é fundamental para um entendimento.

“Hoje, o governador concordou em receber os professores, coisa que,  ao meu ver deveria ter feito antes do movimento começar, com a exposição de números e dados, o que até teria evitado esse movimento de greve. Todos [deputados] aqui, unanimemente, entendem que a presença do deputado Josué vai fazer muito bem a esse diálogo. Ele haverá de ter habilidade para intermediar e conduzir essa reunião de tal forma que possamos chegar a um entendimento e possamos concluir este assunto”, finalizou Serafim.

Texto: Luana Dávila

Fotos: Marcelo Araújo