Serafim lamenta tragédia que destruiu prédios e embarcações, em Humaitá

Serafim lamenta tragédia que destruiu prédios e embarcações, em Humaitá

A depredação foi uma reação a ação do Ibama que tocou fogo em balsas de um grupo de garimpeiros – foto: Marcelo Araújo

O deputado Serafim Corrêa (PSB) lamentou, nesta quarta-feira, 31, a ação ocorrida no município de Humaitá, no Sul do Amazonas, no último dia 27, onde prédios do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio40) foram incendiados por um grupo de garimpeiros.

A depredação foi uma reação  a ação  do Ibama que tocou fogo em balsas de um grupo de garimpeiros. E, em resposta, os garimpeiros incendiaram as sedes do órgão.

“Não sou a favor da exploração do garimpo da forma que está sendo feita, porque aquilo está matando o Rio Madeira, mas também não posso ser a favor da maneira como o Ibama agiu. Não tinha nenhuma necessidade de tocar fogo em 40 embarcações. Em cima daquelas balsas tinham utensílios domésticos de famílias que sobrevivem daquela atividade. Isso é lamentável, como também é lamentável a reação de garimpeiros de terem incendiado órgãos públicos”, disse Serafim.

Segundo o parlamentar, ontem (30), houve reuniões no Ibama, Ipaam (Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas) e no       Governo do Estado afim de solucionarem  essa crise. “Mais um vez eu bato na mesma tecla. Por que  os órgãos não conversaram antes? Se tivessem conversado antes não teria ocorrido essa tragédia . Ao tocar fogo nas balsas, se elas tinham mercúrio, os resíduos foram para o fundo do rio, ou seja, os órgãos de fiscalização terminaram fazendo aquilo que iam combater“, concluiu o deputado.

Texto: Luana Dávila