Mandela ou Sarney?

Por Marcelo Ramos

A vida pública tem seus sacrifícios, mas eles são feitos por opção dos que a escolhem, por isso, o povo e o Estado nada devem aos seus representantes. Já nós, políticos, devemos aos nossos representados transparência, dedicação ao trabalho, capacidade de diálogo e coragem para enfrentar as estruturas de Poder.

Sarney, que fez fortuna na política, não perde uma oportunidade de falar dos “sacrifícios” que fez pela vida pública e pelo Brasil. Mandela, que passou anos preso por suas convicções políticas, nunca perdeu uma oportunidade de falar da honra de representar seu povo e do quanto devia a sua amada África.

Fico com Mandela. Ao ser eleito deputado, recebi do povo do Amazonas uma das maiores honrarias que podem ser dadas a um filho seu. Devo a esse povo o melhor das minhas energias, o maior dos meus esforços e, ainda que dê o melhor de mim, continuarei devedor por não ser capaz de atender as expectativas e desejos de todos.

Na vida pública somos obrigados a fazer escolhas. Ser oposição ou situação é uma questão conjuntural. Ter espírito público é uma questão de princípios. Não compactuar com desvios de conduta, com a corrupção, com a ineficiência, não é conduta de oposição ou situação, é conduta de quem tem espírito público.

A bajulação, o apoio cego e acrítico, o desleixo com o exercício do mandato, envergonham parcela da classe política e, em regra, expressam desvios de caráter de homens que fazem da sua vida pública um instrumento para o alcance de seus objetivos pessoais e financeiros.

Ser situação não é compactuar com a imoralidade. É alertar o governante dos desvios. Ser leal é não compactuar com o erro. É ajudar a não errar ou a corrigir o erro cometido.

Se oposição não é torcer pelo fracasso. É fiscalizar para que o fracasso não aconteça. Ser firme não é negar avanços do governo que se opõe. É reconhecer virtudes com a mesma firmeza com que denúncia os desvios.

A política no Brasil precisa de mais Mandelas e menos Sarneys.

2 comments

  1. Muito bom Marcelo,

    Fique sabendo que sua atuação parlamentar continua correspondendo ás expectativas que nós, seus fiéis eleitores, depositamos em você. E tenho certeza que nas próximas eleições seus votos irão “pipocar” nos quatro cantos deste estado.

  2. Bom , provalvelmente o Marcelo deve ser da oposição.
    Saiba, que estou com 70 anos, e já houvi de tudo, e vou colocar mais esta na coleção.
    Os politicos no brasil, estão de uma forma ,que
    ninguem acredita mais,quando foi implantado a democracia para cá,nós aposentados somos vistos pelos parlamentares como a escoria da sociedade,
    nós verdadeiramente trabalhamos pelo brasil e fomos roubados durante todo esse tempo, e não exi,te um politico se quer, para defender o que esta na constituinte ou seja a DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS DOS HOMENS.
    Veja quanto ganha um parlamentar, quantas aposentadorias acumuladas o SARNA tem,quantos beneficios um politico Gósa,quantos dias trabalhão no ANO, quantos dias ficam parados.
    Vejo que quem esta na politica,esta na verdade procurando vida boa, independente do SARNA, por a classe esta desacreditada, assistem a televisão e verão corrupção ( ROUBO ) todos o santos dias e nada muda,e não estou exajerando.
    Na verdade nós aposentados preferia as coisas como éra,pois consegui com a graça de deus comprar até uma casa na quela época, hoje para sobreviver tenho um carrinho de pipoca para juntar com o misertavel salario para sobreviver.
    O SARNA contribuiu muito para ele mesmo, mas não é só ele,e não sera o unico.
    O sistema de governo deve ser mudado,urgentimente, primeiro acabando com os previlegios dos parlamentares, fazendo com que eles respondão CRIMINALMENTE como era antes,ao meter a mão no cofre publico, segundo diminuir o numero de parlamentares , não precisamos disso, terceiro acabar com vereadores,pois não nos faiz falta e nunca fez,não colocar politico corrupto ( ladrão )na cadeia comum e sim nas cadeias das forças armadas, ou espulsar do brasil ,e tomar tudo de volta o que nos foi tirado.
    Existe algum parlamentar que realmente se sujeita a isso ?
    Nós aposentados estamos perdidos com a atual classe politica, infelismente.

    Boa sorte Marcelo.

Comments are closed.