Joaquim Lucena

Conheço o Joaquim Lucena, ex-Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, presidente do PSB-Manaus e vereador, há pelo menos vinte e cinco anos. Nossa amizade vem dos tempos em que eu era membro do Conselho Regional de Economia e dava assessoria ao Sindicato dos Metalúrgicos nas discussões salariais com as empresas do Distrito Industrial.

Em 1993, ele foi por mim recebido no PSB quando centenas de sindicalistas deixaram o PT. De lá pra cá intensificamos a nossa amizade. Caminhamos juntos em muitas disputas políticas e eleitorais. Perdemos e ganhamos. Quando fui prefeito, chamei-o para ser secretário e ele ajudou muito em duas áreas das mais sensíveis e delicadas: mercados e feiras e ação social.

No ano passado, foi eleito vereador. E sofreu uma ação do MP por conta de uma denúncia anônima. A sua defesa mostrou a improcedência da denúncia, mas foi condenado “porque não provou a sua inocência”. Recorreu dentro do prazo à segunda instancia que, apesar de não julgar os reiterados recursos apresentados, mandou substituí-lo.

Tenho todo respeito pelos membros do Tribunal Regional Eleitoral, mas estão sendo usados dois pesos e duas medidas. Quando é o processo do Joaquim é de um jeito. Quando são os processos de outros vereadores e até mesmo do Prefeito, aí a coisa é diferente. Lamentável.

Nos processos do Prefeito, há uma liminar concedida nas seguintes condições: o Presidente do Tribunal viajou a Belo Horizonte, a fim de participar de uma reunião. A vice-presidente foi ao Careiro da Várzea fazer uma correição. A desembargadora que ocuparia a presidência viajou. Assumiu, então, o segundo suplente que estava de férias. E concedeu uma liminar para que nenhum efeito produzisse qualquer decisão contrária ao Prefeito até que o TSE julgue um recurso que ele ainda vai interpor.

Precisa dizer alguma coisa sobre os dois pesos e as duas medidas?

O que todos esperamos é que o Tribunal Eleitoral julgue todos os processos pendentes. Contra ou a favor, mas julgue e não faça o que fez em relação aos processos de 2006, que só agora estão sendo julgados.

15 comments

  1. É realmente lamentável a postura do TRE, que, recentemente, foi repreendido pelo CNJ, mas parece que ainda não aprendeu a lição.

  2. Posso falar?
    Todo mundo sabe que o Joaquim Lucena é culpado.
    O difícil é provar!
    Mas difícil ainda é o Joaquim provar que é inocente de uma coisa que ele fez mesmo.
    Mas em uma coisa eu concordo com o Sarafa, realmente parece que o Tribunal está agindo diferente em Processos de natureza iguais. Existe o tal de: “dois pesos e duas medidas”.
    Se a chapa de Joaquim tivesse ganho a eleição, a coisa seria diferente. Com certeza!

  3. Não esperavamos de vc outra coisa que não fosse a defesa incontinente do Joaquim Lucena, pois nem ele e nem seus adversários podem ser julgados de maneira unilateral ou aleatória.
    O Joaquim fez muito por manaus ao longo destes anos na vida pública, tanto que o povo o consagrou nas urnas, ele merece um pouco de respeito e consideração, porque existe uma conspiração em Manaus para enfraquecer o seu grupo Serafim, e o alvo não é o Joca e sim qualquer um que estiver muito próximo de vc.
    Por outo lado nos sabemos quemn são os agressores, pois eles tem nome, rg, cpf e endereço,apenas não tem a coragem de se exporem.

  4. Sai fora Sarafa!Deixa de corporativismo partidario.
    A Lei é para todos, comprou votos, tem que ser cassado.

  5. aff…justiça amazonense é muito fraca, está ali só pra enganar os trouxas que se deixam levar pela leviandade! Todos sabem disso, todos esstão vendo o que acontece em nossa cidade, abuso de todas as formas, MAS ninguém organiza nada, ninguém reclama de nada, todos se deixam levar pela sacanagem.

    =l

  6. Não houve dois pesos e duas medidas. O que o blogueiro não disse é que o recurso do Lucena foi julgado intempestivo, ou seja, fora do prazo, pelo pleno do TRE, à unanimidade, ou seja, por todos seus membros reunidos, ao passo que a liminar em favor do Amazonino foi deferida em decisão individual do Desembargador Chalub, suplente que não participou do julgamento do recurso do Lucena.

  7. Este cidadão merece respeito como qualquer outro, só poderíamos condená-lo se a justiça de nosso estado fosse limpa e honesta. Joaquim Lucena é honesto a política local é que é desonesta. Abraços.

  8. Sarafa, essa posição do TRE-AM faz-me lembrar do saudoso Desdor. Paulo Jacob, quando contava a estória que Lampião somente se entregaria à Justiça do Amazonas… ela simplesmente não existe.
    Parabéns, conte sempre conosco

  9. Em primeiro lugar parabéns Sarafa pela postura íntegra e ética durante mais esses últimos quatro anos (pagou e paga um preço alto por isso). quanto ao JOca, ele terá forças para ultrapassar essa barreira com dignidade. vale ressaltar a falta de respeito à vontade do POVO que o elegeu, e qa DEMOCRACIA será uma utopia?????. Está sendo tudo conduzido como você diz: dois pesos e duas medidas.
    Abraçao e até sua volta triunfal ao poder

  10. Há tempo atrás(muito tempo) havia um programa na Rede Globo chamado planeta dos macacos. Havia um bordão muito interessante em que o macaco fazia uma pergunta a alguém, mas esperava a resposta. Neste caso, também gostaria de perguntar, mas, enfim… “eu não queria explicação. Eu só queria…entender”

  11. No texto acima, onde se lê :”mas esperava resposta”, leia-se: mas não aguardava resposta.

  12. Se falando em sindicado dos metalurgicos, nada a comentar sobre Joaquim Lucena, mas tudo a reclamar dos militantes do sindicato, estou indignada ao tratamento que esses que se dizem “porta vozes” dos trabalhadores, podem ser considerados uns verdadeiros animais, esquecem que quem eles atacam dentro das industrias também são trabalhadores e que também pagam o salario deles, que todo mês é descontado para um bando de desocupados ficarem nos intimidando e tentando nos coagir!

    Imaginei que esses “porta vozes” dos trabalhadores valessem alguma coisa, mas pelo visto o que o gato enterra e eles, é a mesma coisa!

Comments are closed.