Deputado denuncia descaso da Hapvida com paciente em Manaus

O deputado Serafim Corrêa (PSB) denunciou, nesta terça-feira, 04, a negligência no atendimento médico da rede Hapvida, em Manaus, sofrida por uma senhora que teve 25% dos seus pulmões comprometidos por uma pneumonia.

“O atendimento da Rede Hapvid está muito ruim. No último sábado,1º, fui acionado por um amigo. Esse amigo me telefonou dizendo que sua tia já tinha ido pela quarta vez ao Hospital Rio Negro, da Hapvida, e tinha todos os sintomas de Covid-19, mas o médico passava comprimidos e mandava ela voltar para casa. A tomografia que era recomendada por todos não era feita”, explicou Serafim.

O sobrinho da paciente também relatou que além de não ter realizado o exame essencial, o Hospital tentou encaminhar, inicialmente, a senhora Maria do Socorro Mesquita Ramos para a rede pública.

 “Além disso, a própria Hapvida tentou induzir a vítima a recorrer atendimento na rede pública. Isso é um absurdo. A Hapvida cobra os planos de saúde e ao invés de corresponder e responder aos seus usuários fica encaminhando para o setor público, que já está sobrecarregado. Se ela ganha com a venda do plano privado tem que atender a pessoa”, lamentou Serafim.

Após o parlamentar tomar conhecimento do caso, falou com a administração da Hapvida por telefone e relatou o que estava acontecendo. Só a partir daí, a senhora Maria Ramos foi atendida e o exame foi realizado.

“Olha, aqui quem está falando é Serafim Corrêa.  Estou apelando ao bom senso de vocês. Esta é a quarta vez que a dona Maria Mesquita volta aí. Ela está mal”, disse.

A tomografia revelou que a paciente estava com 25% dos pulmões comprometidos, com um quadro que indicava pneumonia com possibilidade de Covid-19.

“Aí a Hapvida vem pra cá. Não paga imposto, engana o fisco e no final das contas fica tratando o povo mal. No caso, a dona Maria do Socorro teve a felicidade do sobrinho dela me telefonar e me localizar no final de semana. Interferi no sentido que fosse feita alguma coisa e ela saiu com um diagnóstico. Só que em outros casos, pessoas vieram a óbito porque demoraram a fazer o que tinha que ser feito”, afirmou.

O líder do PSB na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM) ainda disse que a Agência Nacional de Saúde (ANS) precisa tomar uma providência para resolver esse tipo de situação que acaba prejudicando muitas pessoas.

“Quero denunciar e espero que a Agência Nacional de Saúde (ANS), presidida por um ex-diretor da Hapvida, nomeado no governo passado, tome uma providência. Se não tomar uma providência, esse presidente da ANS tem que ser demitido, porque está em conluio, protegendo o seu ex-patrão. Essa é uma dura realidade que precisa ser dita”, concluiu.

Texto: Luana Dávila/ Foto: Anderson Tahan