As manchetes pelo Brasil nesta sexta

O Globo: Câmara recua e farra aérea agora vai a voto no plenário

Pressão do baixo clero deve garantir passagens para parentes de deputados

Sob forte pressão dos deputados, a Mesa da Câmara ontem recuou e decidiu levar a votação em plenário, na semana que vem, a proposta de restringir o uso de passagens aéreas a parlamentares e assessores, entre outras medidas contra a farra aérea. Pelo menos um ponto deve ser derrubado: o que proibiria o uso das passagens por parentes de deputados. Silvio Costa (PMN-PE) apelou: “A questão é que a família já faz parte do meu mandato”. Da tribuna, o deputado Domingos Dutra (PT-MA) protestou: “Daqui a pouco vão querer que eu ande de ‘jegue”, more em palafita e mande mensagem por pombo-correio”. Em Vitória, Marcos Vinícius Andrade, funcionário por 19 anos do senador Gerson Camata (PMDB-ES), depôs no Ministério Público e reafirmou as denúncias que fizera ao GLOBO de uso de notas frias e propinas de empreiteiras. O caso vai para Brasília porque o senador, que nega tudo, tem foro privilegiado. (págs. 1, 3 e 4)

Folha de S. Paulo: Gabinetes negociam passagens aéreas

Agência vende bilhetes da cota de deputados; Temer recua e manda para o plenário decisão sobre viagens

Um esquema de venda de passagens bancadas com verba pública opera paralelamente à distribuição de bilhetes pelos congressistas. Os gabinetes de ao menos três deputados, Aníbal Gomes (PMDB-CE), Dilceu Sperafico (PP-PR) e Vadão Gomes (PP-SP), emitiram passagens em nome de pessoas que dizem ter comprado os bilhetes numa agência Ana Pérsia, funcionária de Aníbal Gomes, passa à Casa os nomes dos passageiros. A lista é indicada pela agência Infinite, de um irmão dela. Pérsia diz ter incluído os nomes na cota de Gomes, que ganha “créditos” da Infinite. Aníbal Gomes e Vadão Gomes não atenderam à Folha. Sperafico diz que o assessor que cuidava, de bilhetes não está mais com ele. O presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), resolveu passar ao plenário a decisão de limitar ou não o uso das passagens. (págs. 1 e Brasil)

O Estado de S. Paulo: Ministros tentam conter crise no STF

Após conflito entre Gilmar Mendes e Joaquim Barbosa, juízes estabelecem trégua

Os ministros do Supremo Tribunal Federal passaram o dia de ontem envolvidos numa operação para conter os efeitos do bate-boca entre o ministro Joaquim Barbosa e o presidente da Casa, Gilmar Mendes. Os “bombeiros” foram Carlos Ayres Britto e Ricardo Lewandowski. No pacto, Mendes e Barbosa foram criticados – o primeiro por não ter evitado o confronto, e o segundo por ter tido reações “inadmissíveis” ao acusar Mendes de “destruir a credibilidade do Judiciário” e de ter “capangas”. Ontem, Mendes disse que “a imagem do Judiciário é a melhor possível” e negou que haja crise. Já Barbosa não se pronunciou. Nos bastidores, Barbosa está isolado no STF por adotar linha favorável à ideia de que a Polícia Federal pode investigar à vontade, em nome de uma fiação justiceira”. O bate-boca explicitou a posição de Barbosa, disposto exercer o ofício com base no “clamor popular”. Já Gilmar Mendes é visto no tribunal como “estrela” que age como presidencialista numa Casa que é parlamentarista. Nessa postura, avaliam alguns ministros, ele abriu várias frentes de confronto e deixou o STF suscetível a críticas de todos os lados. (págs. 1 e A4 e A8)

Jornal do Brasil: Crédito bancário volta a aumentar

Com taxas de juros menores e queda na inadimplência, oferta retoma crescimento

Depois de pelo menos três meses sucessivos de freio no crédito bancário, aumentou a disposição dos bancos para emprestar. Em março, pela primeira vez no ano, o país registrou expansão de novas concessões, segundo informou ontem o Banco Central. Com juros de volta ao patamar anterior á crise econômica internacional, a oferta cresceu 26%. A inadimplência de pessoa física também caiu – é a primeira redução em sete meses. Para O BC há uma recuperação em curso, mas ainda não é possível falar em volta aos níveis pré-crise, uma vez que os bancos públicos concentram as concessões. De acordo com especialistas, porém, os novos dados reforçam a tese de que o ponto crítico, pelo menos para o Brasil, já ficou para trás. (págs. 1 e Economia A17)

Correio Braziliense: A farra continua. Pode acreditar

Para não sofrer sozinho o desgaste com a opinião pública, presidente da Câmara avisa que porá em votação as medidas moralizadoras quanto ao uso de bilhetes aéreos. É o primeiro sinal de que a mordomia será mantida. (págs. 1 e Tema do Dia, 2 e 3)

Valor Econômico: Demanda de imóveis surpreende construtoras

O pacote habitacional do governo já se refletiu nas vendas das construtoras que atuam na baixa renda. As empresas com foco nesse segmento estão surpresas com o tamanho da demanda gerada pelo plano, que entrou em vigor no dia 13. O primeiro fim de semana pós-pacote foi o melhor da história para construtoras como MRV, Goldfarb, Tenda e Rodobens. Em alguns casos, as vendas triplicaram.

As visitas aos sites dessas companhias aumentou exponencialmente, o que prova um misto de interesse e dúvidas. Na MRV, saltou de 28 mil acessos diários ao longo de 2008 para 60 mil, em média, depois do dia 13. Na Tenda, passou de 8 mil por dia para 21 mil. (págs. 1 e B1)

Gazeta Mercantil : Chinesa Chery terá fábrica de carros no País

De olho no crescimento do mercado brasileiro, a indústria automobilística chinesa prepara investimentos no Brasil. O presidente mundial do Grupo Chery, Yin Tongyao, anunciou a intenção de construir uma fábrica no País até 2012. Com investimento estimado em US$ 700 milhões, a unidade, ainda sem local definido, vai montar 150 mil veículos, que também serão exportados para a América Latina. “Mas, antes da fábrica, estamos tentando dominar a tecnologia flex fuel”, afirmou Tongyao, cuja empresa estréia neste ano com a venda de quatro modelos no mercado nacional.

O vice-presidente mundial da Chery, Zhou Biren, afirmou que investe em tecnologia para mudar a imagem de produto inferior dos carros chineses. “É um trabalho árduo, mas a confiança se conquista passo a passo. Aconteceu isso com os japoneses e com os coreanos”, disse.
Além da Chery, a Haima quer vender no Brasil: terá modelos no Salão do Automóvel de 2010. Outra empresa, a Great Wall, pretende ampliar presença no País. (págs. 1 e C1)

One comment

  1. Gostaria de saber, se uma empresa da iniciativa privada, manda seus funcionários viajar, qual delas da passagem para o funcionário a esposa os filhos a namorada o periquito e o papagaio??? respeito com dinheiro publico é algo que no Brasil, nunca existiu o problema agora é que há cobertura e divulgação, isso faz com que nós simples cidadãos saibamos de algumas coisas que se passam dentro de nossas casas legislativas, e fiquemos indignados, mas lembremos que nós temos parte da culpa, podemos acabar com isso? claro que sim nas próximas eleições lembrar daqueles que abusaram ou fizeram farra com dinheiro publico, no Blog do Holanda tem os deputados do Amazonas que o fizeram vão la vejam é lembrem dele depois.

Comments are closed.