Amazonas cresce R$ 700 milhões na arrecadação, mas se complica nos gastos, diz Serafim

Apesar da crise provocada pelo novo coronavírus, o Amazonas arrecadou nos primeiros seis meses do ano R$ 9.486.723.615,68 bilhões, o que representa um aumento de 8,02%, em comparação ao mesmo período de 2019, em foi arrecadado R$ 8.782.354.748,99 bilhões.

Os dados foram divulgados pelo deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) na sessão online da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), desta quarta-feira, 1º, que comemorou o aumento dos números, mas vê com preocupação a forma como os recursos são gastos pelo governo do Estado.

 “Houve um aumento na arrecadação, em seis meses, de R$ 704.638.866,69, o que significa dizer que crescemos 8,02%. Isso é sensacional. O governo do Estado está nadando em dinheiro. Esta é a realidade”, disse Serafim.

Ainda segundo o deputado, através dos trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde da ALE-AM, presidida pelo Delegado Péricles (PSL), com relatoria de Fausto Júnior (PRTB) e como demais membros Wilker Barreto (Podemos), Dr. Gomes (PSC) e Serafim, foi comprovado que o problema está do lado da despesa.

“Esse dinheiro, que é arrecadado com muita competência pela Sefaz [Secretaria de Estado de Fazenda], está se esvaindo pelo ralo.  Importante dizer que a CPI foi, praticamente, um mateiro. Nós fomos na frente abrindo caminho e aí o MPF [Ministério Público Federal], Polícia Federal, STJ [Superior Tribunal de Justiça] vieram pelo mesmo caminho que nós abrimos”, concluiu Serafim.

Texto: Luana Dávila/ Arte: Anderson Tahan