A natureza não se defende, ela se vinga. E aí…

Estamos no período das chuvas e a de ontem causou estragos em toda a cidade. Manaus é entrecortada por igarapés, maiores ou menores, e ninguém consegue andar mais de dois kilometros sem passar por um curso dagua.

Há quarenta anos atrás chovia do mesmo jeito, mas não aconteciam os estragos de hoje.

O que teria havido?

Durante quarenta anos fizemos coisas não recomendadas do ponto de vista do meio ambiente. Aterramos igarapés, eliminamos lagoas de dissipação, ocupamos as margens de igarapés (e não apenas as pessoas mais humildes), transformamos os igarapés em esgoto e mais do que isso, em coleta de lixo, onde são jogadas geladeiras, fogões, estofados e colchões, só para citar alguns. E cobrimos a cidade de asfalto, aumentando as cadeias de contribuição para os leitos dos igarapés, já que a água da chuva deixou de infiltrar no solo.

A natureza não sabe se defender. Ela sabe se vingar. E é o que acontece. Ela, vítima de tantas agressões, de vez em quando, se vinga.

Sem excluir a responsabilidade de ninguém, por entender que todos nós, inclusive eu, somos responsáveis por ação ou omissão, devo dizer que é chegada a hora de uma reflexão geral. Não adianta querer jogar a culpa só nas autoridades. Atuais, passadas ou futuras. Claro que elas também têm a sua parcela de culpa, mas a questão é bem mais ampla.

E depois da reflexão, a ação, a mudança de conceitos, um basta na ocupação das margens dos igarapés, seja pelo humilde, mas principalmente por aqueles que podem mais e na ânsia imobiliária avançam nas áreas de proteção permanente.

Se nada for feito, vamos ver, cada vez mais a repetição de cenas como as das fotos de 9 de abril de 2007.

15 comments

  1. Parabens Sarafim, muito oportuno e esclarecedora sua analise acerca do periodo chuvoso em nossa cidade que como bem abordase é entercortada por igarapés e, isso ,é uma dadiva divina, afinal a chuva é agua e agua é vida.O que seria da Amazonia sem agua e chuva?. Somos nós humanos que não sabemos respeitar a natureza e agua apenas está cobrando seu curso natural que são os igarapés,os vales e o lugares mais baixos,ocupados desordanademente com o aval dos Amazoninos que ao longo dos anos vem destruindo o que tinhamos de melhor na nossa cidade: os igarapés, areas verdes etc.Porém quero aqui registrar o belo trabalho que o senhor quando prefeito fez neste campo,através da Semma e, principalmente da SEMDEC, onde existia um nucleo de fiscalização da Arias de Risco e Construções Irregualares que atuava 24 horas evitando que novos problemas relacionados as inudações ocorrecem.No seu governo a Defesa Cuvil atuava 24horas, eu só testemunha disso,pois meu pai trabalhava lá e nunca deixou um problema relacionado a chuva sem resposta, apesar das criticas da impressa, mas isso era normal afinal tudo que vc fazia a midia criticava e, ontem ao assistir ao jornais da tvs local não vi uma critica sequer a defesa civil do municipio e nem ao prefeito e nem vi tambem a defesa civil do municipio em nenhuma ocorrencia, ao contrario só ouvi a população reclamando que o tel 199 sequer atendia as chamadas.Portanto Serafim vc fez um trabalho muito bom pelo seu municipio, pena que o povo não gosta de quem trabalha com honestidade,mas a nossa luta continua,e o povo que se contente com o prefeito que eles elegeram.

  2. O Poder público move-se a passos de tartaruga, isso tem que mudar. Falando em mudança este poder deveria agir com firmeza com os seus administrados e não fugir das responsabilidades, o que se tem visto ao longo dos “mandatos” são as ações de acordo com a opinião pública, ou seja, se agrada, as medidas continuam, se desagradam são rapidamente extintas. Este não é o caminho a ser seguido, pois as medidas deveriam ser tomadas devido às suas necessidades de serem realizadas e por conveniência política, dessa forma e se assim agisse o poder público problemas como o dos igarapés, de construções irregulares (impermeabilização do solo), tratamento de águas servidas e tantos outros teriam outros contornos, ou seja, Manaus poderia estar dando exemplo para outras cidades do Brasil.

  3. …e NÃO por conveniência política…(faltou o “não” na mensagem anterior).

  4. Enquanto isso, a Prefeitura atual está destruindo o corredor ecológico urbano do igarapé do mindu, criado em convenio PMM – Ministerio do Meio Ambiente, através do Decreto n. 9.329, de 26/10/07, o único local onde o Mindu ainda tem espaco para espraiar um pouquinho e com isso reduzir a velocidade da agua a jusante, minimizando enchentes. quem passar na colonia japonesa e no petros poderao ver as margens tendo a vegetacao ciliar (protegida por lei) suprimida, e o leito sendo cavado, sendo que a areia é depositada e fica nas margens, e com a primeira nova chuva voltam a erodir e assorear o igarape de novo. Isso é muito grave, pois a prefeitura recebe recursos do MMA e da CEF para o corredor do mindu e nao pode estar destruindo esse espaco territorial especialmente protegido.
    O Igarapé do Mindu é o mais expressivo curso d´água na área urbana de Manaus, capital do Estado do Amazonas. A bacia hidrográfica deste igarapé ocupa aproximadamente ¼ do território urbano e concentra aproximadamente 30% da população.
    o Projeto de Revitalização do Igarapé do Mindu, se executado da maneira como havia sido idealizado, já previa a adoção de medidas para melhorar o fluxo do curso d´água, com a instalação de bacias de contenção em áreas estratégicas, que foram estudadas e apontadas como de melhor localização para a instalação destes “piscinões”.
    A experiência de se intervir em APPs, canalizando cursos d´água de grande volume (como o Mindu) e retificando seus leitos já se mostrou ineficiente e equivocada para minorar o problema das enchentes urbanas, a exemplo das marginais de São Paulo (Tietê e Pinheiros) que, ao contrário, ao impermeabilizarem o solo das margens desses rios, agravaram enormemente as alagações na cidade.
    Aqui mesmo em Manaus, temos assistido a enchentes em áreas de intervenção do PROSAMIM, como o Igarapé do Passarinho, na Cidade Nova, que teve suas margens impermeabilizadas com a construção de vias de trânsito e retificação do canal.
    Os países desenvolvidos têm, atualmente, investido bilhões na “descanalização” e na “renaturalização” dos cursos d´água que cortam grandes centros urbanos, na Europa, e também nos EUA, onde existe a experiência, no Estado da Flórida, de recriação das regiões pantanosas que foram anteriormente aterradas pelo crescimento das cidades e especulação imobiliária (não raro, os moradores desses complexos construídos sobre aterro de pântanos encontram um alligator em suas piscinas, evidenciando o desequilíbrio ecológico que provocaram ao ocupar o habitat desses animais).
    O mesmo acontece em Manaus, onde os moradores relatam o encontro com cobras, jacarés e outros animais próprios de APPs, mas que estão ficando sem espaço para sua existência, devido à destruição dessas áreas.
    No meio urbano, as APPs têm o potencial de funcionar como amenizadores de temperatura (controle climático), diminuir os ruídos e os níveis de gás carbônico (melhoria da qualidade do ar), promover equilíbrio de distúrbios do meio (proteção contra enchentes e secas), protegerem as bacias hidrográficas para o abastecimento de águas limpas (controle e suprimento de águas), proporcionar abrigo para a fauna silvestre (controle biológico e refúgio da fauna), promover a melhoria da saúde mental e física da população que as freqüenta (função recreacional e cultural), e contribuir para o melhoramento estético da paisagem – hoje se fala na proteção do “direito à paisagem hídrica”.
    Eu vou sempre, onde estiver, repetir essa “ladainha” e lutar como puder pelo Corredor do Mindu e pelos igarapes de Manaus. A sociedade toda precisa fazer o mesmo! É a nossa cidade e a nossa vida!

  5. Tem que ver a m***** que a Semosbh está fazendo no Conjunto Petrus no Coroado, estão gastando dinheiro (que por sinal é nosso) à toa. E não precisa ser engenheiro pra ver que aquela porcaria não vai dar certo.

  6. Será que o trabalho iniciado por vossa Administração, terá continuidade?
    Vosso texto demonstra claramente que nos últimos quatro anos essa cidade está sendo repensada. Em 2010 os cidadãos dessa cidade que votaram no contrário terão mais uma chance de redimir-se.

  7. Diego, tire fotos da situacao e faca uma denuncia (mesmo anonima) no MPE/AM, na Ponta Negra proximo ao Carrefour e no MPR/PR-AM, na Av. André Araújo, em frente ao TRE. O Petros tambem esta inserido no Corredor Ecologico Urbano do Igarape do Mindu.

  8. O atual prefeito de Manaus, nunca preocupou-se com a questão do meio ambiente,afinal ele é o “pai e mãe” das invasões em Manaus, pois o incentivo das mesmas fez com que ocorresse a destruição das florestas urbanas e construção de casas em cima e na beira de igarápes.
    Meio ambiente para o atual prefeito de Manaus é a mesma coisa que” RUÇO” onde nem todo mundo sabe o que significa.Para ele, o importante é a felicidade geral do povão, até que venha o primeiro temporal, e leve tudo o queo cidadão comum conquistou.
    Foi assim em parte da zona leste onde ele simplesmente passou uma fina casca de asfalto em 92, sem nenhuma rede de esgoto, adivinha pra onde a água foi? “pra dentro dacasa do pobre” que muitas vezes até votou nele.
    A trajédia de quarta feira só não foi pior por que manaus é recortada por igarapés, senão o KAOS seria bem maior.
    Amazonino o teu governo tá “RUÇO”, ninguém acredita mais em meia dúzia de palavras, nem mesmo os teus eleitores:os mototaxistas,kombeiros, taxistas,camelôs,até mesmo o cidadão comum, que o digam.
    -Quando tu estava em campanha ano passado tu dizia que tinha muito dinheiro na prefeitura e a prefeito era lento.
    -E agora qual o problema? a prefeitura continua com muito dinheiro, o Serafim deixou:
    *120 milhões pra ti;
    *te ajudou a aprovar o remanejamento do orçamento;
    * trouxe um dinheiro para concluir o viaduto;
    *fora o restante da verba que voltou para manaus, onde antes estava em Coari;
    Por que anda chorando pelos cantos Amazonino, dizendo que não tem dinheiro.
    Agora sim e com razão e muito mais dinheiro em caixa voçe está lento Amazonino Muuuuuuuuito Leeeeeeeeeento.
    Teu governo tá “RUÇO”.

    Um abraço Serafim
    Até a proxima.
    Daniel Costa.

  9. Geca, as providencias pelo meu lado ja estao tomadas… falta mais gente para se juntar tambem, nada depende so de uma pessoa, o que eu posso fazer, ja fiz!

  10. Na minha opinião o que está faltando -por parte dos governantes -é um programa popular de Educação Ambiental que utilize os Meios de Comunicação de Massa,para ensinar os perigos que podem ocorrer se os equilibrios naturais forem atingidos de maneira irresponsável.

    As Mulheres e os Homens devem observar o Meio Ambiente levando em consideração que fazem parte dele. Qualquer alteração na sua estrutura vai atingir as pessoas também de forma negativa.

    Manaus nasceu entrecortada de igarapes,de águas constantemente correntes, sempre limpas,que ofereciam benefícios incontáveis a população. Desde a sua “modernização” pela aliança do capital nacional e inglês, quando os igarapés do centro começaram a ser aterrados, como é o caso daquele que passava onde hoje é a Av Getúlio Vargas, tem havido mudanças muito radicais no curso destas águas que deveriam continuar correntes.

    Devemos reconhecer que a nossa natureza passou muitas décadas defendendo-se das agressões.
    É substituir estas propagandas de televisão,com a finalidade de divulgar o que foi construído na cidade,por outras bem mais contundentes ALERTANDO A POPULAÇÃO SOBRE O QUE NÃO DEVE SER FEITO PARA PREJUDICAR UMA SALUTAR CONVIVÊNCIA URBANA.

  11. O igarapé do passarinho na Cidade Nova também foi pro fundo e não vi nada ser comentado na cidade por quê? Tem muita gente querendo tapar a “chuva” com peneira, mas a água ta entrando e o banco ta afundando..

    40 forever

    Kkkkkkkkkkkkk

  12. Dra. Luciana Valente, eu tirei foto sim (acho até que deletei) mas não denuciarei, pois não acredito na justiça Brasileira e muito menos na Amazonense. Não vale à pena perder o meu tempo com isso.

  13. Parabéns Dra. Luciana Valente,pela sua disposição em lutar pelo meio ambiente desta Cidade. Nós manauaras agradecemos.

Comments are closed.