Um pacto contra o abuso de autoridade

“A partir do uso indevido e ilegal de grampos telefônicos, algemas, do abuso de autoridade, da participação ilegal de juízes e de agentes da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) em investigações e inquéritos, juízes, promotores e delegados tem colocado em risco a luta contra o crime organizado e a corrupção.

Por mais que pareça o contrário e por mais que esses agentes públicos responsáveis pelas investigações neguem e defendam seus procedimentos ilegais, eles usam e abusam de meios indevidos escudados na máxima de que, na luta contra a corrupção, os fins justificam os meios.”

Trecho do novo artigo de José Dirceu, ex-ministro-chefe da Casa Civil. Clique aqui para ler o artigo na íntegra.

2 comments

  1. Embora eu tenha ficado muito triste quando foi cassado, acho que não há maior decepção na política nos últimos tempos do que o José Dirceu! Não pelo episódio do mensalão, mas por esse tipo de postura de acobertar criminosos! É justamente isso que não queremos, que os fins justifiquem os meios. E por isso não se deve tolerar a corrupção como maneira de se chegar ou se manter no poder! E jamais a corrupção deve ser tolerada. O José Dirceu não vive mais na clandestinidade! Ele agora faz parte do sistema legal, e deveria defendê-lo, mesmo que seja tão injusto como é no Brasil! Punir policiais federais e juízes corajosos, que têm coragem de enfrentar pessoas como ele e seus novos aliados não é o melhor caminho para a justiça social!

  2. Serafim:

    lembra-se do adágio “de tanto repetir uma mentira ela acaba por tornar-se verdade”?…
    Nenhum grampo feito pela polícia federal, até o momento, foi considerado ilegal; nenhum juiz foi considerado suspeito de irregularidade; e para que as algemas sejam consideradas abusivas tiveram que , agora, firmar um tal pacto, chamado pacto “Daniel Dantas”.

Comments are closed.