E se Wallace fosse julgado pelo Canal Livre?

Reproduzo abaixo o artigo de autoria do vereador Marcelo Ramos publicado no jornal DEZ MINUTOS:

Durante anos, os “Irmãos Coragem” criaram o seu próprio Tribunal de Exceção. O programa Canal Livre investigava, processava, julgava e condenava os que eles chamavam de “galerosos”: bandidos, marginais, vagabundos, entre outros adjetivos. Tudo isso em conluio com uma banda podre das polícias militar e civil.

Não satisfeitos com a condenação, invadiam casas, torturavam pessoas e apresentavam a imagem dos “galerosos” (todos pobres, quase todos negros) no programa como um prêmio, da mesma forma que um caçador que exibe a cabeça da caça empalhada na parede da sala.

A coragem contra delinqüentes pobres sempre contrastou com a covardia diante dos poderosos.

Os fatos dos últimos dias levam a crer que eles “combateram” tanto a bandidagem a ponto de se confundirem e associarem a ela, como as milícias que surgem para combater os criminosos, mas que acabam por virar o próprio crime.

Hoje, Wallace e seu filho Raphael respondem por acusações que, se comparados aos “galerosos” que o Canal Livre condenou, esses parecem crianças de um jardim de infância brigando na hora da merenda.

Associação para o tráfico, homicídio, tortura, extorsão, formação de quadrilha e até o planejamento do assassinato de uma juíza federal pairam sobre a “família coragem”.

Eles, que eram os xerifes da cidade e que nessa condição tornaram-se campeões de votos nas últimas eleições, saem das páginas da política e freqüentam agora as páginas policiais, não mais como algozes dos “galerosos”, mas como os próprios criminosos.

Com o seu Tribunal de Exceção televisionado do Canal Livre, condenaram inocentes pobres e defenderam tantas vezes ricos corruptos e criminosos.

Sorte deles que não serão julgados pelo seu próprio Tribunal, pois se assim o fossem, já estariam condenados, quem sabe à pena de morte. Sorte deles que serão protegidos pela presunção de inocência e pelo devido processo legal que sempre negaram à todos.

Marcelo Ramos é advogado e vereador pelo PCdoB.
Site: www.vereadormarceloramos.com.br;
email: [email protected]

11 comments

  1. Aos “Irmãos Coragem” ofereço os versículos da Bíblia a seguir:

    Mateus 7:5 – Hipócrita! tira primeiro a trave do teu olho; e então verás bem para tirar o argueiro do olho do teu irmão.

    Lucas 6:37 – Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; perdoai, e sereis perdoados.

  2. A essa família desejo apenas o ostracismo ou o limbo, e de lá umas descidas ao inferno de vez em quando, para se entenderem com o capeta!
    Cambada essa que enlameia a política local.

  3. A atitude de julgar é praticada de forma universal em nosso país, nos meios de comunicação, nas rodinhas de vizinhos, nas reuniões de família… Julgar é o esporte favorito do brasileiro (Não sei, sinceramente, se outras sociedades também admiram a arte da magistratura não-oficial). Mas no caso em tela, julgar de maneira parcial com resultado premeditado, a fim de que a vida das pessoas se transformem em picadeiro para que os “artistas” possam viver seus personagens, é algo desleal e covarde!
    Julgar alguém sempre foi, e sempre será, tarefa muito difícil, tendo em vista que nunca haverá decisão perfeita, podendo-se cometer injustiças, mesmo utilizando-se o bom senso e a boa vontade. Imagine dessa forma açodada e cruel!!! É por essas e outras que assistimos constantemente casos de justiça feitas pelas próprias mãos, algo extremamente condenável e perigoso, podendo resultar na morte de indefesos e inocentes.

  4. “SE ELE NÃO CAIR HOJE, CAI AMANHÔ.

    E esse programa que não começa nunca?
    Até já imagino como vai começar,o Wallace dizendo:
    “-estão me perseguindo;
    -sou inocente;
    -é um complô;
    -não aceitam meu crescimento;
    -É a oposição
    -mas não vou desistir, continuarei do lado do povo e lutando pelo povo.

    De repente:”palmas para o deputado”
    Vai lacrimejar, chorar (começa a música dramática) alguns segundos de silêncio.

    Coitado só mandou matar 17″.

    Que se faça justiça.

  5. Prezasdo Ver. gostei da materia escrita ou assinada por vossa Exlencia a verdade tem que ser. dita parabens.

  6. Poderia se aproveitar este lamentável episódio envolvendo este apresentador-deputado para se discutir o sistema eleitoral no Amazonas.
    Como pode vários parlamentares fazerem campanha política ininterrupta na televisão, no rádio e em jornais e não sofrerem nenhuma sanção ou mesmo advertência da justiça eleitoral?… Alguns chegam a ser chamados de “deputados” pelos bajuladores de auditório.
    Manifestar-se como cidadão sobre assuntos variados é direito de todos. Mas o apresentador-político só deve poder se manifestar contra um opositor político desde que deixe claro para o público que ali ele pode estar representando um papel político-partidário.
    E o mesmo deve valer para os blogs como o seu! Para que não sejamos incoerentes!
    Penso que a lei deve ser revista ou haver uma maior fiscalização sobre o que de fato é propaganda eleitoral antecipada!!!

  7. Parabéns Marcelo pelo brilhante texto. Certa vez no blog do Ismael Benigno Neto tentei dizer com outras palavras isso que vc brilhantemente traduz, com certeza, ânsia de um sem numero de amazonenses.
    Esses justiceiros sem causa haverão de pagar nas urnas por tantos inocentes condenados e até mesmo por uns poucos culpados mas que foram sumariamente julgados pela midia canina que estes irresponsáveis diariamente reproduzem na nosa TV.

  8. Uma ou outra coisa ainda vai, mais 17 não da.

    Os olhos da justiça não estão fechados a toa, ela senti a verdade, o correto sempre ira se levantar contra as maldades dos aproveitadores.

Comments are closed.