Abertura da janela partidária faz siglas intensificarem disputa por deputados

Abertura da janela partidária faz siglas intensificarem disputa por deputados

Os partidos intensificarão nesta semana a caça de deputados. A janela partidária, período de 30 dias em que deputados são livres para trocar de legenda sem o risco de punição, começa na 5ª feira (8.mar.2018) e vai até 7 de abril.

Nesse intervalo, siglas tentarão atrair o máximo de deputados de outros partidos, causando 1 verdadeiro mercado no Congresso. Quanto maior a bancada na Câmara, mais recursos o partido recebe do Fundo Eleitoral, aprovado no ano passado. Pelas regras, 48% do valor serão divididos proporcionalmente ao número de assentos na

Além do Fundo Eleitoral, mais R$ 888 milhões do Fundo Partidário poderão ser distribuídos aos candidatos. O principal atrativo utilizado pelas legendas será justamente o dinheiro público que bancará as campanhas.

Algumas siglas, como o PP, oferecem até R$ 2,5 milhões, valor máximo permitido para gastos com a campanha à Câmara. Já o MDB deve reservar R$ 1,5 milhão. Partidos mais modestos, como o Psol, devem oferecer menos de R$ 300 mil.

O Poder360 consultou as 10 maiores bancadas na Câmara para ouvir as previsões sobre quantos deputados devem entrar e sair, além da meta que pretendem atingir ao fim da janela.

Dentre os mais otimistas estão o DEM (previsão de chegada de 10) e o próprio PP (previsão de chegada de 7 e saída de 1). O mais pessimista é o PSDB. O partido admite que deve perder nomes, com possibilidade de fechar a janela com uma bancada menor do que a atual. Legendas como MDB, PT e PDT acham que não terão perdas ou ganhos significativos.

Fora do grupo dos maiores, o nanico PSL, de 3 deputados, acredita ser possível encerrar o período de troca-troca com 40 deputados. O motivo seria a filiação de Jair Bolsonaro (RJ), pré-candidato à Presidência.

Leia abaixo 1 infográfico sobre a janela de filiações e a estimativa de cada partido para o período: