O trânsito caótico de Manaus

Manaus é sem duvida uma das capitais que mais enfrentam problemas no trânsito. Políticas equivocadas do passado fizeram com que a cidade ficasse quase oito anos sem obras viárias que melhorassem o trânsito e facilitassem a acessibilidade da população.

Em um exercício simples de memória, você pode notar que a única obra feita na era Braga foi a passagem de nível e a ampliação da Torquato Tapajós. Nos oito anos da era Alfredo, você observa apenas inaugurações no seu primeiro mandato, todas deixadas pelo seu antecessor, umas em execução e outras planejadas.

Durante a administração Serafim Corrêa, evoluímos com obras como a nova Maceió e o Viaduto Miguel Arraes, na Rua Recife, entretanto, precisava ser feito mais.

Deixamos pela metade o viaduto do Coroado que agora o prefeito afirma que vai inaugurar em apenas sete meses. Esquecendo ele da parte que pegou pronta, do dinheiro que encontrou na conta e do tempo que ele demorou para recomeçar a obra que significou mais cinco meses de sofrimentos para a cidade.

O viaduto do Coroado será concluído sem alterações, de forma acertada mantiveram o projeto original, não nos recursos gastos, e ele sabe perfeitamente do que estou falando, mas na engenharia.

No entanto, o projeto do viaduto da Paraíba foi alterado de forma irresponsável e desastrosa. O projeto que foi desenhado para resolver o problema foi alterado e provocará engarrafamentos após a sua inauguração. A Paraíba, que tem hoje quatro faixas de rolamento, terá ao final das obras apenas duas, fazendo com que os engarrafamentos na avenida continuem acontecendo e o que é pior após uma obra que consumirá milhões de reais do contribuinte.

Amazonino é assim: enquanto nós sofremos com os engarrafamentos e com as decisões desastrosas de seus subordinados, ele sai para pescar, porque políticos ultrapassados e sem compromissos não conseguem ver que a sociedade mudou.

Até quinta!

Deixe uma resposta