Meia passagem, parte III

No último sábado a Câmara de Vereadores reuniu-se de forma extraordinária e inédita para aprovar em segundo turno a LEI AMAZONINO que reduz as meias passagens para os estudantes de Manaus. Infelizmente a medida contou com o apoio de 27 vereadores descomprometidos com a educação em nosso município.

Amazonino no decorrer da semana disse que quem mora a menos de 1 km da escola deve caminhar e ir estudar a pé, esquecendo-se o prefeito da violência que assola os bairros de Manaus só para citar um exemplo.

Sabendo que corria risco de ver seu projeto derrotado, Amazonino abriu a banca de negócios e nomeou um dia antes da votação 66 parentes e amigos dos vereadores. De um lado estávamos nós lutando contra a proposta e do outro Amazonino trabalhando de forma descarada e desonesta pela aprovação da medida. Espero que o Ministério Público tenha visto tal ato e tome as providências que a lei e o momento exigem.

Não sabendo conviver com a diferença, Amazonino mandou a guarda municipal espancar covardemente dezenas de estudantes que protestavam em frente a CMM fazendo nossa cidade reviver os tempos em que a PM espancava professores que reivindicavam melhorias salariais e de trabalho.

A partir de agora os estudantes terão que enfrentar filas para comprar a meia passagem, diminuir suas atividades extracurriculares e muitas vezes terão que trocar um dia de aula pelo seu lazer, pois Amazonino acha que estudante deve andar a pé mesmo, e é andando a pé que os estudantes ocuparão as ruas para denunciar a toda a sociedade os desmando de um prefeito que em seis meses de mandato fez com que Manaus voltasse ao passado.

Até quinta.

Medicamentos: As faltas continuam, sugiro uma compra emergencial junto a laboratórios oficiais como FURP, LAFEPE e FARMANGUINHOS. Sugiro ainda a instalação de farmácias populares em todos os cinco terminais de ônibus de Manaus facilitando assim a vida da população.

O autor é deputado federal e farmacêutico.

Fone: 32382835 – [email protected]

Deixe uma resposta