Faltam remédios

Na última semana recebi reclamações de pessoas humildes sobre a falta de remédios nas unidades do município. Infelizmente, as faltas não são pontuais e sim generalizadas.

Com muita preocupação vejo a forma como vem sendo conduzida a política de medicamentos em Manaus. Como farmacêutico, tenho a obrigação de apontar os problemas e mostrar as soluções para o bem da população.

Noticias sobre falta de medicamentos em nosso estado são comuns e o principal motivo para isso é a falta de um bom gerenciamento.

Evoluímos muito na política de medicamentos, mas ainda falta evoluir mais. Na administração passada contratamos mais de 40 farmacêuticos para auxiliarem nesse trabalho. A grande vitória foi o “Remédio Fácil” que distribuía de forma gratuita 62 medicamentos.

Sem uma boa gestão fica difícil manter uma política de medicamentos. É por isso que hoje faltam medicamentos em Manaus. Vejamos:

1. Os atuais gerentes estão mais preocupados com as possíveis falhas do passado do que com o trabalho a ser desenvolvido.

2. A prefeitura de Manaus não fez as compras necessárias para abastecer sua rede e após seis meses ainda usa os estoques do ano passado.

3. Existem recursos exclusivos para a compra de medicamentos, mas não estão sendo usados. Sobram recursos e faltam medicamentos.

4. Querem que os farmacêuticos das unidades gerenciem as UBS´s o que se torna impraticável pelas distâncias e pela falta de estrutura oferecida.

As soluções, embora possam parecer, não são difíceis. Entre outras, cito :

1. Com urgência, comprar os medicamentos em falta.

2. Utilizar os recursos do Fundo Municipal de Saúde, exclusivos para esse fim e ainda não utilizados.

3. Contratar 16 farmacêuticos para os distritos de saúde responsabilizando cada um pela gerência de 10 UBS.

Espero ter contribuído com a atual gestão, da qual sou opositor, a solucionar um grave problema que afeta o nosso povo, principalmente hipertensos e diabéticos que estão sem captopril e metformina.

Até quinta-feira.

Deixe uma resposta