Até onde irão as filas

Quero dirigir minhas palavras aos milhares de estudantes e suas famílias. A eles meu abraço fraterno e a certeza de que continuaremos na luta em defesa de condições dignas que tanto merecem. Fico a imaginar até onde irão as filas para que o prefeito possa voltar atrás de um dos maiores erros cometidos.

Quando houve a decisão de que a meia passagem deveria ser comprada de forma antecipada, todas as lideranças estudantis e políticas de oposição alertaram o prefeito sobre as conseqüências que o seu ato poderia trazer para os estudantes. Infelizmente, Amazonino do alto da prepotência de quem acha que sabe tudo, não deu ouvidos e seguiu em frente. Hoje Manaus vê o caos que as mudanças produziram.

Amazonino, por entender que os estudantes estariam fraudando a meia passagem do sistema de transporte coletivo decidiu fazer severas mudanças, como a redução do número de passagens e o fim do pagamento da meia passagem em dinheiro diretamente na catraca. Gostaria de sugerir ao prefeito que reveja a sua decisão e que possa devolver aos estudantes pelo menos o direito de não serem humilhados em quilométricas filas que ele jurava que não ocorreriam. Não penalize o povo por não saber reconhecer os méritos dos seus opositores. Seja grande, seja humano, seja povo!

Até quinta!

APUI: Participei de várias festas, mas uma em especial me marcou, a festa do rodeio em Apuí. Jamais havia visto um povo tão apaixonado e tão dedicado ao rodeio. Infelizmente um ano de trabalho foi frustrado pela estranha presença de um cavalo doente na cidade que jamais, jamais havia se quer entrado no parque de exposições. O fato provocou a interdição de algumas provas, por parte da CODESAV, órgão diretamente ligada a SEPROR. A justiça local garantiu a realização das provas, mas um recurso derrubou a liminar em estranhos 19 minutos. Não acho que essa seja a melhor forma do governo do estado tratar o povo de Apuí.

Marcelo Serafim é deputado federal PSB/AM e farmacêutico. Fone: 32382835 e [email protected]

Deixe uma resposta