Agora eles são baderneiros…

Manaus viveu na última terça-feira um clima de horror. Em frente à sede da prefeitura, milhares de mototaxistas reivindicavam de Amazonino a regulamentação da categoria. Acuado, ele chamou a PM.

A questão deve ser vista de forma responsável e criteriosa. Sou oposição ao prefeito, mas, devo dizer que a situação é critica e de difícil solução. Não existe movimento favorável aos mototaxistas que não seja desfavorável às outras categorias de transporte como os taxistas, rodoviários e as cooperativas de transporte alternativo, logo, atender um significa desagradar outros e gerar uma nova frente de descontentes que farão de tudo para ter seu direito preservado.

A verdade é que Amazonino representa a política do passado, do tempo que Manaus tinha apenas uma universidade e formava pouquíssima massa crítica capaz de cobrar, inclusive dos meios de comunicação, uma cobertura mais isenta dos fatos que ocorrem em nossa cidade. Hoje, temos incontáveis agentes de comunicação que contam a verdade como ela é e mais de uma dezena de universidades que formam cabeças pensantes capazes de saber o exato momento em que a promessa vira uma trapaça.

Ontem, a máscara caiu perante uma categoria que reivindica tão somente o que lhe foi prometido. Quero deixar claro que só sou favorável a regulamentação se ela for discutida com todos inclusive os taxistas, rodoviários e cooperados que também foram enganados pelo atual prefeito.

A solução deve ser dada a várias mãos. Amazonino já não é capaz de resolver essa questão, pois hoje ele lida como uma sociedade bem diferente. A Manaus de hoje é uma cidade que tem graves problemas estruturais, sobretudo, pela inércia e falta de compromisso deste grupo que voltou, mas que podem ter certeza que a sociedade manauara mudou e ficamos felizes de termos sido um agente dessa mudança.

Cumpra com suas responsabilidades, prefeito.

Reage Manaus!!!

Até quinta!

Marcelo Serafim é Deputado Federal e Farmacêutico, WWW.marceloserafim.com.br , twitter.com/deputadomarcelo fone: 32382835

Deixe uma resposta